segunda-feira, 26 de outubro de 2015

A gente desaprende...

Não sei mais desenhar. Não é eufemismo, não é falsa modéstia. Depois de anos levando essa coisa do desenho sem comprometimento e sem consistência eu simplesmente involui. Minha criatividade temática é digna de quem fica rabiscando em uma reunião ou ao telefone. A qualidade técnica de execução não fica atrás, e tudo ficou quadrado, mal feito, amador.

Quando isso acontece, só há uma escolha a fazer: abandonar o barco ou recomeçar. A alternativa sensata para quem tem 35 anos, uma filha pequena e tenta ter um home-office produtivo seria deixar tudo isso de lado.

Felizmente, sensatez nunca foi uma das minhas qualidades.
Ou seja: resta recomeçar.
Mas por onde?

Essa é a questão que me entretém agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário