sexta-feira, 26 de junho de 2015

Quase lá...

Quase terminando o meu estudo/releitura em lápis de cor de "Oddball" da Lisa Ober... Enquanto ela foi maluca de fazer gigante em pastel, eu fui maluca em fazer A4 em lápis de cor.  Sei que vocês já devem estar cansados de ver WIPs desse daqui, mas prometo que até quinta-feira que vem eu termino... Agora só faltam as sombras e o fundo.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Tem dias que não dá certo...

Simples assim!

terça-feira, 9 de junho de 2015

Mandalas ao Vento - Meu livro de colorir e pintar está à venda!

Se você não pode com eles, junte-se a eles! Tendo esse lema como mote, me juntei a febre mundial que quer colorir e pintar livrinhos e lancei o meu próprio livrinho de colorir. 

O livro se chama "Mandalas ao Vento", e a capa é essa que você pode ver aqui -- são 52 duas mandalas inspiradas em padrões geométricos e rosas dos ventos (aquelas utilizadas por navegadores, projetistas, arquitetos para identificar o Norte, Sul, Leste e Oeste -- além das outras sub-direções).

Foi bem divertido fazê-lo e agora ele está à venda exclusivamente no Clube de Autores, com preço promocional até o dia 12/06.

O link do livro está aqui:
https://www.clubedeautores.com.br/book/187955--Mandalas_ao_Vento

Mais detalhes sobre o livro, você encontra a seguir -- ou na página do blog no Facebook (https://www.facebook.com/sketchblock.com.br).

Exemplos de mandalas que você encontrará no livro.


Descrição na contracapa do livro.

sábado, 6 de junho de 2015

Tudo que é "não perecível", perece!

Sem tempo, oportunidade e força de vontade para vencer a resistência ultimamente, então só deu pra dar um tapa num rabisquinho descompromissado -- encontrei meus "toquinhos" de lápis de cor aquareláveis que não uso há muuuitooo tempo (na aula usamos apenas os comuns). Acabei ficando triste... E nem só com o resultado do rabisquinho mas... Descobri que se sua casa for muito úmida, seus lápis de cor "não perecíveis" acabam perecendo sim! As pontas estão esmigalhando enquanto eu coloco no papel... Mal eu para pintar, então acabei passando um pincel com água por cima e... Continuou não dando muito certo. Tudo bem, era um rabisco descompromissado de quem estava de saco cheio de não conseguir sentar a bunda para fazer algo para si mesma mas... Nem por isso eu deixo de ter expectativas.

terça-feira, 19 de maio de 2015

Negócios inacabados

Veja em mais detalhes em: https://flic.kr/p/r1Q9HH
Releitura/Estudo de "Snickers" de Marcello Barenghi
em Lápis de cor (Linha Vermelha, Faber Castell em Canson C-grain 220 g/m²)
Estou entrando no quarto mês das aulas de Pintura em Lápis de Cor... Então começou a bater um peso na consciência que o primeiro trabalho não estava acabado -- estava faltando terminar o fundo cinza e acrescentar a sombra para poder dar o trabalho como concluído.

Mesmo quatro meses sendo um período muito pequeno para falar em "desenvolvimento", eu já consigo sentir boas diferenças -- a primeira é que, embora o professor ainda me lembre constantemente para cobrir a porosidade do papel, eu já faço isso bem melhor agora do que nesse primeiro desenho. Em caso de dúvidas, é só comparar o desenho aí em cima, com o último desenho dessa postagem (o andamento da releitura/estudo de Oddball).

Estojos complementares da Caranmo que vão junto, dentro da bolsa da Derwent
e o início dos lápis Faber Castell. Sim, eu tenho 2 de cada cor.
Outra coisa que veio com as aulas é que finalmente estou usando a minha bolsa da Derwent como ela merece... (Para quem não a conhece, é só clicar aqui). Antes ela acabava funcionando como arquivo de material (cabe 132 lápis/canetas/pincéis nela), mas agora esta completamente equipada com 2 caixas de Faber Castell comum de 48 cores (Linha Vermelha Escolar, não aquarelável), uma caixa de Giotto de 12 cores, uma caixa de 12 cores de Cretacolor Aqualith e mais 8 Lumographs graduados de H a 7B da Staedler... E os estojos soltos da Caranmo que você vê na foto tem mais uma caixa de 12 Aquareláveis da Caran D'Ache, e uns 16 Prismacolors Verithin comprados avulsos.

Esses estojos da Caranmo são de fato estojos pequenos para pincéis... Mas comprei alguns há uns anos e viciei. Eles são ótimos para guardar lápis de maneira temática. Tenho um com o básico de preto e branco para passeio, esse com os Verithin era o meu básico de lápis de cor para passeio... Fica bem seguro, compacto e cabe na bolsa sem problema (com a vantagem que você enxerga bem o que está disponível, odeio ter que ficar revirando estojo cheio em busca de lápis para pegar todos, menos aquele que você quer).

Continuação dos lápis de cor acima. Sim, eu tenho TOC para arrumar por tonalidades.
Não mostrei tudo aqui nas fotos mas acho que é de dar água na boca para quem gosta de lápis de cor não é mesmo? Eu coloquei uma "meta" de que só posso abrir a caixa dos Prismacolor Premier de 132 cores para desenhar quando eu conseguir acabar com esses 96 da Faber Castell -- em trabalhos, esteja bem dito (tacar fogo nesses e abrir a outra caixa não é uma opção).

A próxima vítima desse meu "desejo de reparação" deve ser o desenho da Coca-cola que eu comecei algumas vezes e não terminei nenhuma -- tem até como escolher que opção terminar. E enquanto isso, eu trabalho em aula com a releitura/estudo abaixo. Estou louca para ver terminado.

Estado do dito trabalho em 17/05/2015.
Só para dizer que eu não deixo mais a porosidade do papel aparecer tanto.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

"Até tu Brutus?" - Um desafio encantado.

Nota especial: livros de colorir para adultos... Gourmetização do sketchbook -- essa é a minha opinião. A pessoa quer ter uma experiência "artística" e escolhe uma experiência pré-programada para expressar seu lado artístico ou... Simplesmente liberar o stress. 

Isso posto, eu devo dizer... "Até tu Brutus?" Sim... Até mim. Mas é por uma boa causa... Ou boba causa, mas não importa. Os meus colegas de Pintura em Lápis de cor decidiram escolher cada um uma imagem do bendito livro para pintar de verdade... Como disse um colega "porque colorir não é pintar". Eu escolhi a corujinha acima... Recebi minha xerox, escaneei e agora tenho o traço aplicado no Bristol da Canson (na verdade é um Opaline mais profissional) e um traço mais claro em um Mi-Teintes (também da Canson) de cor creme.

Vou fazer duas tentativas: no Bristol vou pintar com a caixa nova de Mapeds (resenha em breve). No Mi-Teintes vou pintar com os lápis que eu tradicionalmente uso na aula... E tentar aplicar mais modelagem. Vamos ver no que dá...

(Disse a mãe que ficou com seu desenho das bolinhas parado por uma semana sem conseguir seguir em frente... Otimismo e falta de noção tem pra dar e vender).

domingo, 26 de abril de 2015

Aquarela Malucona

Aqui em casa, toda vez que a gente ensina algo para a Lívia a gente diz que é "malucão" - o cachorro é malucão, a Galinha Pintadinha é malucona e ela quando apronta algo completamente doido está maluquecida... Mas tudo bem, que a Lívia tem 15 meses e é mesmo maluquecida na maior parte dos dias... Mas essa aquarela aí em cima é quase um trabalho de Lívia -- foi rabiscada no sketchbook na fase em que eu estava revoltada com a mulher das aquarelas feias (e ainda gosto mais do meu teste maluquecido do que as sérias dela), somente para testar uma aquarela que eu comprei na Daiso há algum tempo.



Eu só usei 3 cores (amarelo, vermelho e azul -- o amarelo acabou ficando verde porque eu estava com preguiça de montar a quantidade de potes de água necessária para a mistura, então as cores acabaram involuntariamente se misturando/sujando) e fiz apenas umas aguadas no sketchbook... Esperei secar e tentei tirar algum desenho dali, como a gente faz com padrões abstratos de azulejos e tijolos... E deu nisso.

Ok, não é nenhuma obra de arte -- talvez arte naquele sentido materno de "Que arte você aprontou, menina?" -- mas fez eu ter ficado com remorso de ter comprado só uma caixinha de aquarela. As cores são fortes, misturam bem e... E como na Daiso Japan tudo custa R$ 6,90, ainda eram 12 cores com pincel por essa bagatela.

Achados (e perdidos)! É assim que a gente costuma chamar essas situações.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

De volta do mundo da Dengue

Só para não parecer que eu sumi de vez, estou retornando -- quase que oficialmente -- do mundo da dengue. É, aqui em casa, felizmente, só eu fui premiada. A versão até que foi mais branda -- sem tanta dor, apenas muita febre, mas foi suficiente para me colocar fora de órbita por mais de uma semana.
Ainda não sei ao certo que ônibus me acertou, esqueci de anotar a placa, então estou retomando as minhas atividades aos poucos.
Essa foto, por exemplo, é uma espiadinha no que eu estou trabalhando em sala de aula, depois da garrafa de coca-cola (que ainda precisa ser finalizada). Hoje depois da aula acabei dando um pulinho na Universitária e comprei papel bom para os próximos 02 meses de aula (Mi-Teintes, folhas A2 brancas que precisam ser transformadas em A4). Então não quero ficar tanto tempo em um desenho... Quero ver se ganho velocidade agora.

sábado, 11 de abril de 2015

Sempre em frente...

Always, Coca-cola!
Mais um trabalho em andamento... Dessa vez não estou ficando muito contente com o resultado -- especialmente por essa ser a segunda tentativa. Dessa vez estou indo em um papel mais adequado para lápis de cor (o C-Grain da Canson, bem liso, normalmente pra aquarela). Na primeira tentativa tentei com o offset e o resultado foi ainda mais desastroso.

Tenho um outro em um princípio de andamento, mas vou continuá-lo em aula a partir de quinta-feira. Fiquei de terminar esse em casa durante a semana, assim eu desapego e passo para outro.

Ainda muito chocada com o quanto eu demoro pra fazer um trabalho desses -- que não está nem perto da qualidade dos meus colegas de sala.

Eu sei que para esse tipo de coisa eu deveria ter mais calma, ser mais comedida etc. Mas eu sou apressada -- para não dizer matona -- então acabo correndo mesmo... Depois fico triste com o resultado.

Acho que seria melhor reservar uma meia hora todo dia para ficar alisando desenhos como esse -- e começar a acalmar a mente com o quanto demora.