Mostrando postagens com marcador Métodos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Métodos. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 25 de junho de 2013

Um rascunho cansado...

Mais um rascunho cansado de Junho. Esse exigiu um esforço do photoshop para aparecer na tela, de tão clarinho que estava o original. A referência é loira, eu quis ir aumentando os tons aos poucos e depois de bastante tempo -- que eu não contei -- ainda estava muito claro e eu comecei a perder a vontade. Ultimamente está assim: além da dificuldade de começar, eu canso na metade (desânimo é o nome disso).

Ás vezes, mas só ás vezes, eu me pergunto se deveria ser assim tão complicado de vez em quando... Se talvez isso não quer dizer que eu deveria colocar todos os materiais, sketchbooks e livros em uma caixa e doar para alguém que conseguisse fazer algo melhor com isso mas... Como é que a gente abre mão de uma parte tão familiar da nossa personalidade?

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 45

terça-feira, 18 de junho de 2013

Rabisco de 15 minutos

Um rabisco de 15 minutos tem muitas funções: tentar esquematizar uma figura em pouco tempo; fazer algo diferente do que eu tenho feito nos últimos sketchs e soltar um pouco a mão. Não sei se eu consegui atender todas essas funções -- mas é bom variar um pouco para não perder o ânimo.

Eu gosto de fazer desenhos que se resolvam no traço -- mas não estou muito acostumada a fazer muitos deles, pelo menos nos últimos anos. Não que tenha ficado grande coisa mas com esse rascunho eu acabei de passar outro ano no volume de produção...

Ainda esperançosa que a qualidade siga a quantidade.

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 44

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Sketchs de Junho.

Estou de volta com os Sketchs de Junho. Esse mês eu admito que eu comecei um pouco mais tarde -- eu realmente achava que estar em casa por mais tempo garantiria mais produção, mas ainda assim é difícil vencer o desânimo. Voltei de viagem há uma semana e ainda tenho que desfazer minha mala. Sair de viagem motiva muito mais do que encerrar as férias. Encerrar as férias é voltar para a realidade, para as preocupações e as rotinas e... Quem é que quer essas coisas não é mesmo?

Além disso, eu só consigo pensar em terminar esse sketchbook que parece mágico e não termina nunca, rs.

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 43

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Saindo à Francesa...

Esse post está aqui especialmente para dizer que eu viajo na quarta-feira (vou para a França, e volto em 12 dias). Portanto é bem possível que o número de postagens diminua significativamente nesse período -- eu ainda queria deixar algumas postagens programadas para o período mas, ainda tenho muita coisa para arrumar até quarta-feira, então não vou fazer promessas... Acho difícil conseguir um tempinho para programar postagens e preparar sketchs.

No ano passado eu até tinha a ideia de montar um sketchbook da viagem, tentar fazer alguns desenhos nos locais mas... A passagem foi tão rápida, que eu não queria parar por muito tempo para desenhar e perder a possibilidade de conhecer mais lugares. Esse ano, no entanto, eu espero passeios mais calmos. Veremos!

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 42

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Sketch feio também conta ponto...

Infelizmente nem tudo são flores no caminho dos desenhadores em desenvolvimento... Mas mesmo que o desenho saia claramente feio, ainda conta ponto: pelo menos você esteve por lá nos seus minutos diários; mesmo que ainda desanimada pela melhora não ser incremental -- queria poder dizer que o de hoje é sempre um pouquinho melhor que o de ontem, mas não é... Na maioria das vezes se você não estiver no clima pode ser pior, inclusive, que coisas que você fez anos atrás -- e é preciso muita força de vontade para não desanimar nesses momentos.

Ando um pouco ansiosa, e acho que isso tem aparecido bastante no desenho. E estou sentindo falta de coisa mais soltas, mais coloridas, mais rabiscadas... Ter me comprometido nesse sketchbook a tentar dar sempre tratamento final aos desenhos tem sido interessante mas, me pergunto se não é hora de voltar aos rabiscos despretensiosos. Afinal, se é pra ficar feio que pelo menos seja premeditado, rs.

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 39

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Compromisso: 1. Anatomia: 0.

A pressa não é só inimiga da perfeição -- ela também é inimiga do desenhista em desenvolvimento. Não sei você, mas eu bem que queria abrir o meu sketchbook e começar a desenhar como um profissional (daqueles que eu admiro) logo de cara. Feliz ou infelizmente, não acontece assim. Muitos lápis chegarão ao seu estado "cotoquinho" antes que você possa se sentir satisfeito com o resultado final do papel. E dizem as maledetas línguas profissionais que você nunca fica, de fato, satisfeito - estamos perdidos.

Ok, você internalizou isso? Eu estou tentando.

Para piorar só um pouquinho, esse desenho levou mais tempo que o necessário. Comecei no dia 17, continuei no dia 18 e desisti no dia 19 -- sessões de trabalho que incrementaram pouco, e eu sequer cheguei a conseguir um resultado uniforme. Anatomia não é fácil não, e não admite chutes. E quando você não mede e estrutura as coisas direito... Bem, não há sombreamento que salve.

Além disso, essa não é uma "temática" que agrada muito o marido então... A gente acelera um pouco mais para chegar no fim RÁPIDO, rs.

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 38

terça-feira, 21 de maio de 2013

Psicose Asiática - Um Sketch para 03 Pomodoros (75 minutos).

A referência que deu origem a esse sketch foi tirada de uma revista feminina, em um ensaio fotográfico que tentava lembra "Psicose" de Hitchcock. O fotógrafo realmente conseguiu o feito... O meu rabisco no entanto, não sei por que, ficou com ares asiáticos. Acho que o rosto ficou menor e mais delicado do que a referência original e a boca um pouco mais carnuda.

Não gostei muito do resultado do cabelo... Exagerei no lápis, e ela ganhou um peruca, rs. Mesmo assim, esse rabisco já garante que Maio não terá um sketch filho único.

Estou com mais tempo livre agora, então quem sabe eu me dedique um pouco mais aos trabalhos desse tipo -- ainda estou sem coragem de investir mais tempo nos exercícios necessários (mais chaaatooos) que precisam ser feitos para melhorar alguns aspectos do desenho.

Mas vamos lá, um rabisco de cada vez. Não vejo a hora de finalizar o sketchbook atual e começar um novo. Faz muito tempo que eu não aposento um deles.

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 37

segunda-feira, 20 de maio de 2013

01 Sketch para 01 Pomodoro (25 minutos).

Maio estava passando em branco... Então resolvi me voltar para a minha meta de desenhar pelo menos 25 minutos (01 Pomodoro) por dia para ver no que dava. Deu no que eu imaginava -- estou lenta, e continuo tentando sombrear o desenho antes que ele esteja nesse ponto.  Algumas pessoas tem um desenho baseado em linhas, outras um desenho baseado em tons e eu definitivamente me encontro no último tipo.

Ontem eu estava assistindo a esse vídeo no canal do Will Terrel que é um artista cujo estilo eu gosto bastante, e acho que ele fala um pouco da minha crise: meus olhos estão mais afiados para perceber defeitos do que para corrigir meu próprio desenho. É frustrante perceber o grande número de coisas erradas no seu desenho e não fazer ideia de como corrigir. Pelo menos por enquanto.

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 36
25 minutos rabiscando

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Retrospectiva de Abril

Retrospectiva de AbrilO que dizer quando a sua retrospectiva do mês passado chega praticamente na metade do mês seguinte? Em primeiro lugar, "É, a coisa não está fácil para ninguém!". Em segundo, lamentar que se Abril foi um mês lento, Maio está sendo um mês ainda pior.

Eu queria ter uma história bonita para contar -- dizer que a vida "está uma correria" e "quem tem tempo para desenhar" no meio de tanta correria... Mas a verdade é: a correria é sempre a mesma; o que está me deixando longe do sketchbook é uma coisa que sempre dá quando volto a ficar perto dele: medo e desânimo.

Como eu disse no post anterior, nada mais desanimador do que praticar, praticar, praticar e não ver um desenvolvimento incremental... É mais fácil seguir em frene no meio do bom do que no meio do ruim ou do feio. E medo porque... Ah, e se você dedicar boa parte do seu dia a isso, constantemente e as coisas simplesmente não ficarem melhores?

Caindo como uma luva nos meus questionamentos, dei de cara com esse post:
Remember it's ART.

Acho que vale uma lida - enquanto eu não me organizo melhor.

O mosaico que ilustra esse post
Mais triste do que poucos desenhos em um mês, só um número impar de desenhos que me deixa com esse quadrado preto, nada simpático no meio do meu mosaico. Como estamos praticamente na metade de Maio, ainda há algum tempo para a esperança de que maio seja melhor.

Retrospectiva de Abril
1. Rascunho 31, 2. Rascunho 32, 3. Rascunho 33, 4. Rascunho 34, 5. Rascunho 35

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Empacou no desenho? Atacando a curva de aprendizagem.

Quanto é preciso piorar antes de melhorar? Estou tendo essas discussões internas como uma esquizofrênica por conta do desenho. Pelo que se espera da curva a aprendizagem, toda vez que iniciamos o aprendizado de uma habilidade, a melhora inicial é sentida -- é fácil ir do nada a alguma coisa e se sentir motivado por esse pequeno progresso... Mas aí o tempo passa, você percebe uma certa melhora e... As coisas continuam assim por um tempo -- muito tempo às vezes. Estou naquela fase em que você sabe o quanto não sabe e, se você não tomar cuidado com essa fase, ela pode ser bem debilitante para a autoestima.

Mas como lidar com a maledeta curva de Aprendizagem?

Tenho pensado em algumas abordagens que podem ser úteis também para quem se sente empacado em suas habilidades desenhísticas ou em outras áreas.

Primeiro passo: Voltar ao básico.


Para aprender qualquer coisa, não devemos supor que sabemos mesmo o básico -- devemos nos certificar. Quantas vezes tentamos resolver um problema desconsiderando algo que era "impossível de ter esquecido" (como aquelas pessoas que ligam para o suporte técnico para dizer que o computador não está funcionando, esquecendo de verificar se ele está na tomada). Em desenho isso pode significar uma atenção maior é focada em aspectos como: linha, relação entre objetos, contorno, luz e sombra, composição etc., mas pode ainda estar relacionada a algo muito mais básico: você está utilizando o material correto? Já tive vários colegas de desenho que tentavam conseguir um desenho altamente sombreado, com diversos tons de cinza utilizando folhas de sulfite Chamequinho e lápis número 2 de escrita. Utilizar esses materiais não irá impossibilitar seu aprendizado mas... Com certeza irá ter um impacto considerável no resultado que você pode esperar, e você deve estar ciente de qual impacto será esse.

No meu caso, está faltando paciência e processo! Estou muito afoita para terminar e esqueço que primeiro é preciso medir tudo bonitinho e bem leve... Depois começar a sombrear, devagar e sempre. Internalizar isso será possível apenas com um comprometimento de Yoga.

Segundo passo: Escolha um guia.


Lessons in Classical Drawing: Essential Techniques from Inside the AtelierTeoricamente, estou utilizando o DTO (Drawing Tutorials Online - http://www.drawing-tutorials-online.com/) como base de estudo. Digo "Teoricamente", pois faz algum tempo que eu não assisto o meu vídeo diário. Comprei há alguns meses atrás esse livro da foto, o "Lessons in Classical Drawing" e gostei bastante - eu sou uma velha de alma e queria mesmo ter estudado em uma atêlie no estilo mais tradicional possível, então a abordagem do livro caiu como uma luva. Estou querendo adicioná-lo a minha linha mestra para conseguir seguir os temas necessários em uma ordem que faça sentido. Para ajudar, o livro vem acompanhado de um DVD com apoio aos principais temas - e com algumas breve entrevistas bem interessantes.

Terceiro passo: Comprometa-se.


Compromissos tem que fazer parte da agenda. No começo do ano eu me comprometi a desenhar um Pomodoro por dia. Por diversos dias eu esqueço esse compromisso, ou não consigo encaixá-lo no dia. Estou percebendo que o melhor a fazer, além de me comprometer com um tempo mínimo é me comprometer com um horário específico... E mantê-lo.

Quarto passo: Avalie.


A melhor forma de acompanhar o seu desenvolvimento é estabelecer e acompanhar indicadores. Esses indicadores podem ser quantitativos (quantos dias eu desenhei por semana, quantas horas eu gastei etc.) ou qualitativos (embora nem sempre a gente esteja apto a analisar objetivamente a melhora na qualidade da produção). Por hora, eu prefiro acompanhar da quantidade... E deixar que a qualidade se acerte com o tempo.

O rabisco que ilustra esse post...
Eu não ando gostando dos meus desenhos... Não vejo harmonia nas linhas, vejo o "levemente torto" das partes que compõe o rosto. Além disso, há uma certa falta de paciência no sombreamento que me irrita. Preciso trabalhar minha calma...

Rascunho 35