sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Sempre mais do mesmo...

Recentemente eu decidi parar de mentir para mim... Não adianta ficar enchendo o Sketchbook de rabiscos (uma amiga gosta de brincar que são "artes naïve", rs) e achar que estou fazendo alguma coisa... Mesmo com toda tortura e necessidade de aprimoramento que a coisa precisa, eu gosto mesmo de arte figurativa, de realismo, de hiper realismo... Se eu chego lá ou não, é outra questão mas... Não vou ficar entretendo coisas tão fora do meu padrão para tentar despertar a minha criatividade.

Recentemente eu publiquei um link na página do Facebook (http://www.studentartguide.com/articles/art-sketchbook-ideas) só para relembrar que sketchbooks vem em todos os formatos e com todos os tipos de conteúdo. Estou me dando ao direito, então, de ser um pouco mais metódica sem muito peso na consciência.


quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Iluminuras

A definição é um pouco demais mas, eu gosto de colocar uma imagem para marcar a passagem de anos no sketchbook -- é claro que idealmente o sketchbook não deveria conhecer o termo "passagem de ano", mas aí já é uma outra questão.

Normalmente eu escolho uma imagem de algum artista que eu gosto e preparo uma impressão pra colar ali mas... Esse ano, em homenagem a aula de lápis de cor que eu começo a fazer na quinta-feira (fica para um próximo post), eu decidi fazer à mão em lápis de cor.

Por enquanto, mesma preocupação do ano passado -- não passar mais de um dia em cada rabisco... Então sem sombreados trabalhados ou cores mais uniformes -- fica para o dia que eu puder começar mais cedo e terminar mais tarde.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Novo Sketchbook Tilibra Academie

Modelo Antigo do Tilibra Academie
Preço médio: R$ 35,00.
Os rabiscos em si podem não sair mas, para o bem ou para o mal, os cadernos que pretendem carregá-los não param de entrar... Como a atual circunstância não permite a entrada de modelos caros, eu não posso deixar de testar quando modelos mais em conta entram no nosso tão escasso mercado nacional.

O modelo que você vê no início da postagem é exemplo de uma das opções nacionais, produzidas por uma grande marca já há alguns anos (Tilibra). Ele conta com 70 páginas de gramatura média e leve textura, em uma cor off-white (levemente creme). Como eu sou meio viciada em colecionar cadernos do tipo, tenho alguns em branco das duas opções - a menor (mais próxima do formato A4) e a maior (mais próxima do formato A3). Mas ser uma das primeiras entusiastas (ou como eles diriam no marketing, "early adopter") tem o seu custo -- grande parte do meu estoque não tem folhas "acid free", ou seja, não está preparado para o teste do tempo: irão amarelar. Já as versões mais recentes contam pelo menos com o selo de "acid free".

Como eu já comentei por aqui algumas vezes, eu não me dei 100% bem com esse sketchbook -- apesar da gramatura e textura da folha, eu encontrei mais dificuldade em criar destaques e sombras do que eu previa. Além disso, nenhuma das imagens scaneadas ficou muito como eu gostaria. Tirando esses detalhes, é um sketchbook de respeito: bom tamanho, bom acabamento e um preço condizente.

E o que podemos encontrar no novo modelo?

 

Mesmo com todas as qualidades do modelo original, eu não pude deixar de ficar MUITO curiosa com o lançamento do novo modelo. O primeiro fator, é claro, foi o preço -- que está na média de R$ 18,00, por um caderno tamanho A4, com 50 folhas (essa informação pode variar, e muito, dependendo do site que você acesse). Outra curiosidade foi em relação ao formato. Todos os sites que eu encontrei informam que é um caderno espiralado em cima mas... Será que as pessoas estão há tanto tempo no computador que elas tem dificuldade de perceber que se você não gostar nesse formato basta simplesmente... Virar o caderno???

Eu sei que, como você pode ver nas fotos, a arte dá a entender que o caderno deve ser utilizado na horizontal (ou estilo paisagem) mas... Vamos dar algum crédito aos consumidores não é?

Por dentro no entanto, nada de muito especial -- apesar de ser um sketchbook com papel de uma boa gramatura (150 g/m²), o papel é um offset comum, de alta alvura (branco, branco, branco). Não é acid free (vai amarelar com o tempo) e não suporta nenhuma técnica úmida (talvez apenas um nanquim leve se você tiver cuidado). Mas é o que uma média de R$ 18,00 garante por aqui... Mas se você quiser economizar e não fizer questão de uma encadernação espiral, você consegue comprar o mesmo tipo de folha (sulfite 150 g/m²) em blocos de 20 folhas na Papelaria Universitária, por exemplo.

Se vale a pena somente você poderá dizer. Mas existem algumas coisas que você pode levar em conta na hora de se decidir se esse é o sketchbook para você:

1. Esse vai ser um sketchbook para praticar ou para guardar e mostrar para os netos? Caso a segunda opção seja a sua opção, esse aqui pode lhe deixar na mão com o tempo.

2. Que materiais você irá usar? Lápis, hidrográficas, ok. Se você pretende utilizar aquarelas, aguadas de qualquer outra natureza (nanquim, acrílica) esse pode não ser o melhor companheiro para o seu trabalho.

3. Cabe dentro do seu bolso? No final das contas, esse é o fator crucial. Se você vem desenhando em folhas de papel de impressão (daqueles pacotões de 500 folhas ou 100), sem dúvida esse é upgrade -- a folha será melhor, o trabalho estará melhor organizado e você terá como acompanhar a sua evolução. Se você já vem desenhando em folhas próprias para desenho, mesmo que nos blocos estudantis, e está feliz com o resultado -- ou mesmo se você pretende experimentar técnicas diferentes a cada página, essa pode não ser a melhor opção para você. Melhor economizar seu rico dinheirinho em opções mais profissionais.

 Se você quiser mais detalhes técnicos, aqui você encontra a contracapa e ficha técnica do caderno.

Você pode encontrar o seu aqui:
 


segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Nunca acredite em promessas de mãe

Eu voltava em Novembro, não voltei. Eu gostaria de dizer que tenho alguns rabiscos não publicados para postar mas também não tenho... Até meus planos mais artísticos -- retratar todo mundo da família mais uma vez para presentear em molduras no Natal -- falharam.

Primeiro foram finalizações de projetos profissionais, depois compromissos familiares, Natal, Ano Novo, Aniversário da filha e... O tempo passou, agora que as coisas já estão mais em ordem, e eu poderia usar essas duas horinhas de sobrevivente que tenho quando a minha filha dorme, eu tenho o prazer de olhar no celular e ver marcando que a temperatura aqui do bairro está em 35ºC (as 22:00h!!!). Eu sou paulistana, quente começa em 26ºC; 35ºC já está na gradação inferno.

Como isso afeta a produção rabiscante? Minhas mãos suam... E suam muito... Qualquer folha de papel ficaria encharcada e a qualidade do desenho seria horrorosa, melhor desenhar em guardanapos.

Ok... Estou me sentindo naquela categoria "tudo vira desculpa"... Talvez seja mesmo... Mas agora estou no aguardo de situações climáticas mais favoráveis.

Art Before Breakfast

Estou aguardando ansiosamente a publicação do livro "Art Before Breakfast". Estou interessada, nesse ano de 2015, em qualquer coisa que ajude a inspirar a sair da inércia e achar tempo nos momentos mais complicados do ano.

Para quem tiver interesse:

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Volto em Novembro... Me aguarde...

Depois de ficar mais de um mês testando canetas e lápis novos na página da esquerda, resolvi usar a outra para deixar um recado: volto em 01/11 -- estou finalizando alguns projetos que parecem não ter fim, e devo estar livre de tudo até o final de outubro, então esse mês não dá para fazer mais nada... Ainda mais agora que eu fico ocupada em tempo integral das 06:30 às 21:30, e depois disso tenho que colocar o caos do dia em ordem. Está sobrando, no máximo, duas horas para trabalhar... E duas horas nas quais eu estou simplesmente esgotada.

Sem mais expectativas para Novembro.

domingo, 28 de setembro de 2014

Fora do Prumo

Continuando o sketchbook... Acabei de resolver um problema com o scanner que estava travando no meio da digitalização -- coisas de ter muitos aparelhos USB, e poucas entradas: faz você trabalhar com um hub, o que não é sempre a melhor solução. Continuo tentando aproveitar os dois lados da página; nem que seja para testar alguns materiais que eu ainda não utilizei. O "retrato" rabiscado à direita foi levemente inspirado em uma foto da minha mãe com 12 anos. Estava com preguiça de trabalhar o cabelo -- assumo -- então deixei parecendo que ela era loira... Muito longe da verdade.

Ainda me perturba muito essa coisa de eu ter uma tendência natural a deixar os olhos fora de prumo... Um sempre acaba um tantinho mais baixo que o outro. É uma coisa que está longe de passar despercebido depois mas que misteriosamente eu nunca percebo quando estou desenhando -- mesmo quando tento checar o desalinho com uma régua ou com um lápis por exemplo. Aqui no detalhe, por exemplo, eu corrigi a distorção no Photoshop: coloquei os dois olhos no mesmo nível, diminui a distância entre eles para um olho (que é a indicação básica de proporções) e deixei o olho da sua esquerda levemente maior que o da sua direita, já que, como a cabeça está levemente inclinada, isso deveria aparecer naturalmente... Não deu muuuitoooo certo, mas o suficiente para perceber que com um pouquinho mais de atenção a coisa teria ficado um pouquinho melhor.

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Mais um inacabado.

Como o rascunho diz, comecei mais um sketechbook... Já não sei quantos eu tenho em andamento, mas eu já sei por exemplo que eu gosto muito, muito, muito mais desse papel da Canson do que de todos os outros últimos que tenho usado. Não é caro, tem uma estrutura boa, vários tamanhos... Ganha um beijo. Se alguém se interessar, é esse aqui:
http://www.papelariauniversitaria.com.br/produtos/caderno-one-sketch-book-100fl-a5-canson.htm

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

SketchBlock no Facebook

Você já visitou a página do blog no Facebook? Não? Então aproveite:
https://www.facebook.com/sketchblock.com.br

Resolvi o que fazer com ela -- estou aproveitando para publicar tudo o que vejo de bonito por aí, e que não cabe no blog. Assim, por aqui a gente fica com as minhas dores e sofrimentos em relação aos meus sketchbooks, e lá a gente vê quem já fez a coisa dar certo, muito certo.

Vai lá, curte e acompanha!


sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Sempre mais do mesmo...

Eu já tenho um blog específico para reclamar da vida para não ter que fazer isso por aqui. Mesmo assim acho que vale a pena atualizar... Não me cuidei direito essa semana: não dormi o suficiente, abusei das horas de trabalho, descuidei da alimentação. Aí nesse, justo nessa quinta e sexta que eu precisava dar força total, fiquei marcha lenta... E agora se assenta aquele resfriado do ano que eu sempre tenho, o que derruba para valer mesmo.

Dor de garganta, dores no corpo e calafrios são os meus amigos agora. Nadei, nadei e morri na praia com tudo que tinha que entregar essa semana então... Eu fico me perguntando de que vale tanto esforço se eu não consigo virar a entrega.

Ando reavaliando muita coisa... Só não sei quando eu terei oportunidade de colocar qualquer resolução em prática... Parece que eu estou sempre correndo atrás do próprio rabo -- as coisas grudam umas nas outras e eu simplesmente não tenho tempo de refletir... Nem sobre como aproveitar melhor os 20 minutinhos que eu dedico a isso.

Uma nota sobre o azul: é Ecoline... Comprei há um milhão de anos, e ainda não usei direito. E ela está ficando grossa - algo que não deveria. Resumo na Ópera: estragando materiais como nenhuma outra há 34 anos.