segunda-feira, 25 de abril de 2016

Esgotamento - BEDA #25

Sorte que eu ainda não tinha publicado o meu primeiro rabisco da série do feriado... Assim acabou tendo algo pra mostrar hoje que eu estou simplesmente esgotada. Estou precisando me movimentar mais...

domingo, 24 de abril de 2016

sábado, 23 de abril de 2016

Mais um Rabisco - BEDA #23

Continuando as postagens suscintas de viagem. Mais um rabisco no sketchbook novo para ver se esse vai pra frente mais rápido. Logo logo voltamos a nossa programação normal.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Sketch do Descobrimento - BEDA #22


Dia 22 de Abril. Dia do Descobrimento. Pra comemorar -- hahahaha -- estou iniciando um sketchbook novo. Resolvi brincar um pouco com a aquarela nova, mas como eu não entendo muito disso, acabei fazendo graça de esferográfica por cima... Depois eu escaneio melhor, mas por hora a fotinho meia boca do celular vai ter que bastar.

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Kit de Viagem - BEDA #21

De sossego, descansando longe de casa no feriado prolongado. Não sei se vai ser proveitoso, mas trouxe o meu kit básico de viagem. Inclui apenas itens para rabiscar e uma aquarela de pastilhas por via das dúvidas. Torcendo por novidades no retorno.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

I'm sick - BEDA #20

Hoje eu vou fazer um teste bem diferente. As postagens durante o feriadão serão feitas direto do celular -- vamos ver no que dá.
A foto que eu espero que acompanhe esse post é meu atestado de doença: que pessoa louca, que diz que gosta de desenhar, tem o seu estojo de pintura de infância, nessas condições há pelo menos 22 anos?
Se vc conhecer alguém, me avise -- estou precisando montar um grupo de apoio.

Deu Branco - BEDA #19

Uma das maiores dificuldades em relação ao BEDA nesse blog, nem tem sido o que escrever -- acredite, eu tenho um lindo calendário editorial quase todo preenchido e planejado para isso aqui. No entanto, eu só consigo parar para escrever quando a Lívia (minha filha de 02 anos, 3 meses, e 2.1 Gigawatts de potência) dorme. E ela tem feito isso religiosamente às 22:15 nesses dias... O que me deixa com 1 hora e 45 minutos para comer alguma coisa, finalizar minha pesquisa, escrever, juntar imagens e... Fazer isso para 02 blogs (porque a atividade também corre solta no PrixLifeBox).

Hoje, por exemplo, a ideia era falar sobre como escolher um sketchbook -- iria ser um post extenso, pra considerar atributos como marca, tipo de papel, tamanho, finalidade de uso etc... Mas deu branco, não deu... Vou ter que me contentar (e espero que contente vocês também), com o vídeo da Koosje Koene falando sobre as vantagens de manter um "Art Journal" (quando você olha o dela, você percebe imediatamente, rs).

Amanhã devo ir pessoalmente retirar uma compra na "Fruto da Arte" -- agora estou oficialmente pronta para atualizar meu post de 2012 sobre onde comprar material, já que acabei de comprar online na última loja que faltava da relação (em 2012 eu comprava em todas elas pessoalmente, mas ainda não tinha comprado online), então todas as opiniões estão atualizadas. Veremos.

Draw Tip Tuesday: Journal Pages - Koosje Koene
https://youtu.be/bdnziV29AX0

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Quem Espera, Sempre Cansa - BEDA #18

É de assustar o quanto de tempo da vida passa sem que a gente preste atenção se acabarmos não tomando cuidado. Estava folheando o livro da imagem -- "Creative is a verb", de Patti Dig, tentando encontrar inspiração para rabiscar e me dei conta que eu não rabisco nada de novo há exatamente um mês... Estou enrolando e enchendo aqui de postagem, sem de fato colocar a mão na massa.

Por mais que eu tenha problemas com o pessoal do "rabisque qualquer coisa e seja feliz", acho que pelo menos um ponto positivo dessa abordagem é não ficar paralisado, esperando uma luz divina lhe iluminar e dar vontade, inspiração, tempo e essas coisas.

Vamos nos esforçar mais agora? Vou tentar.

sábado, 16 de abril de 2016

Começando Pelo Lugar Errado: Meus Primeiros Livros de Desenho e Pintura - BEDA #16

Há muito tempo atrás -- mas ainda nessa galáxia -- a Editora Globo publicou a coleção "Desenho e Pintura". E a garotinha de 9/10 anos que eu era (nunca consigo ter certeza do ano, se foi em 1989 ou 1990) ficou maluca com a ideia de ter uma coleção de livros que de fato lhe ensinariam a desenhar e pintar. Então ela pentelhou o pai da melhor forma possível para que ele comprasse essa coleção. Ele comprou os dois volumes iniciais, pq... Bem, vc já viu alguma coleção que não tente te pegar dando logo no início 02 livros?

Infelizmente, para não escapar da tradição de coleções incompletas da família, essa também parou por aí -- meu pai dizia que era muito cara (ainda mais quando descobriu que ela ainda teria mais 10 volumes) e achou que eu não fiquei animada o suficiente com os dois primeiros... Não é que eu não fiquei animada, hoje em dia eu sei reconhecer que o sentimento na verdade foi: frustração.

Veja bem, ninguém na minha família é "artístico praticante" -- especialmente não em desenho e pintura -- então ninguém conseguiu avaliar muito bem o quão fora da minha alçada esses livros estavam: eles falavam de papéis que até então eu nem sabia que existiam, que depois disso (mundo pré internet) eu continuava sem saber onde encontrar e de materiais importados que eu nem sabia onde conseguir... Dar para uma criança um livro sobre aquarela, quando a da Faber-Castell era um sonho de consumo, não ressoava muito.

Esses livros me assombraram por anos, mesmo tendo sido dado com as melhores das intenções -- e até hoje, mesmo depois de ter completado a coleção via sebo -- eu ainda culpo muito do trauma que eles causaram pelo acúmulo de materiais de desenho e uma surreal esperança que adquirir esses materiais vá de fato fazer alguma diferença na minha vida. Durante muitos anos eu fiquei com a minha mente de criança obcecada com o fato de que eu não conseguia fazer as coisas como "devia" porque eu não tinha os materiais certos, como os dos livros.

Acesso a bons professores, pessoas que mexessem com arte ou qualquer coisa do tipo poderiam ter corrigido essa minha distorção -- mas mesmo a minha primeira aula de desenho foi acontecer uns 05 anos mais tarde, e lá o estrago mental já estava feito.

Por isso que até hoje, toda vez que eu conheço alguém que pira em materiais específicos, eu fico martelando a mesma tecla de que "isso não importa" -- é claro que existe uma diferença entre uma aquarela da Faber e uma Lukas, ou um lápis n.2 e um lumograph... Mas ela não é significativa o suficiente para evitar que você faça o que quer.

Adoraria ter escutado isso, repetidas vezes, com 10 anos de idade.
E então vou ficar repetindo isso pelo resto da vida, sempre que puder.
Se você quer desenhar, "mas não tem os materiais certos", NUNCA, NUNCA, NUNCA deixe isso lhe atrapalhar -- você só precisa de papel, lápis ou caneta. Só isso, de qualquer qualidade. E nunca deixe de fazer o que gosta se alguém lhe disser o contrário.