domingo, 2 de dezembro de 2012

Aprenda o que quiser...

Meu computador principal (desktop) pifou, e estou sem acesso ao meu scanner. Por conta disso, os olhos de vocês estão sendo poupados das grandes belezas que tenho rabiscado por aí... Agradeça ao santo do suporte de computadores, e ao meu namorido que ainda está montando, segundo ele, o computador mais fodástico que eu já tive... Mas como eu disse, ele está montando... E só o santo do suporte de computadores sabe quando ele vai terminar (agradeço de coração amor mas... tenho que jogar o nabo para alguém, rs).

Até instalei o scanner no meu netbook mas... A fiação necessária desanima, especialmente quando eu vejo o que tenho para escanear. Tem sido uma questão interessante decidir se o objetivo principal de um blog chamado sketchblock é publicar os meus rabiscos... Na verdade, o principal objetivo desse blog deveria ser ajudar pessoas como eu - e a mim mesma no processo - de parar de pensar em desenhar e realmente rabiscar o papel.

Como descobrir o que é preciso saber?
Por conta dessas coincidências da vida, li há alguns dias um post no blog Zen Habits sobre como aprender qualquer coisa. Ele trás uma entrevista feita pelo autor do blog (Leo Babauta) com o autor Tim Ferris, do livro "The 4 hour work week" e agora "The 4 hour chef". Tim Ferris, para quem não conhece, é perito em aprender coisas novas e difíceis com um método bem "peculiar". Se você estiver interessado em conhecer um pouco mais sobre a sua história, eu recomendo os vídeos a seguir:

Tim Ferriss: Esmague o medo e aprenda o que quiser (16m21s)

Tim Ferris on Learning (40m24s)


Se você for uma pessoa valente e encarar essa hora com Tim Ferris, verá que boa parte dos seus segredos para aprender qualquer coisa estão baseados na escolha de um bom método e na prática consciente - não apenas praticar por praticar, esperando que isso dê algum resultado. Fiquei um bom tempo pensando se existe uma prática "rápida e eficiente" para desenho. Afinal de coisas, são centenas de livros sobre o aprendizado de desenho - não é possível que nenhum deles tivesse um método correto.

E então eu me lembrei que existe sim um livro de desenho que oferece uma melhora significativa em um prazo recorde, muito vendido e que quase todo mundo conhece:

Desenhando com o lado direito
do cérebro, por Betty Edwards.
Se você já conhece o livro acima, pode estar torcendo um pouco o nariz agora. Algumas críticas comuns ao método proposto pela Betty Edwards nesse livro que já tem décadas de publicação são:

  • A semelhança entre os desenhos "com o lado direito do cérebro", independente do artista.

  • A validade do método para o desenho de observação mas não ajudar muito no desenho de imaginação.

Uma questão do olhar...
Não tenho pego o livro da Betty Edwards na estante para estudo há um bom tempo (não aguento mais desenhar o Stravinsky que o Picasso desenhou de cabeça para baixo), mas existe uma correlação direta entre o seu método e o tipo de abordagem de aprendizagem que o Tim Ferris utiliza.

  1. Seu objetivo não é fazer de você um exímio desenhista - mas mostrar que todo mundo é capaz de desenhar bem, em um tempo curto, com a instrução adequada. Em muitos casos, mostrar que a pessoa é capaz de pular de um homem palito torto para um desenho realista bem acabado em menos de uma semana, é o empurrão suficiente que a pessoa precisa para procurar instrução e treinamento adequado.

  2. Seu  livro oferece um método claro e passo a passo que pode ser seguido - uma prática orientada. Uma coisa é fazer o que muitos livros e instrutores de desenho fazem e sugerir que você deve desenhar bastante para compreender o desenho - outra bem diferente é seguir o método do livro, e ser orientado trabalho a trabalho específico.

  3. O livro deixa claro que desenho não está relacionado a nenhuma habilidade manual específica, talento nato ou material utilizado mas, à capacidade de olhar, estabelecer relações, comparar... Com paciência, calma, e método, qualquer desenho de observação se torna executável.

Para quem não conhece, Betty Edwards sempre merece uma visita.

Para quem conhece, fica a pergunta: como elaborar um projeto de prática orientada para desenho, diferente do método da Edwards. Será que livro após livro de desenho está realmente correto e a melhor sequência de aprendizado é aquela proposta nos livros? Como transformar dicas como "você deve desenhar mais do real" em algo executável  e que possa ser analisado de maneira que você melhore o seu desenho? Vou continuar pensando a respeito.