Mostrando postagens com marcador Rascunhos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Rascunhos. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Atualmente, no Sketchbook

Ando meio perdida sobre o que rabiscar no Sketchbook, então qualquer coisa está valendo -- e muito poucas agradando (especialmente esse vai e vem entre uma coisa mais realista e algo mais cartoon). Está faltando decisão de pegar uma linha de desenvolvimento para seguir (escolher um livro para estudar, um curso para seguir ou algo assim).

Ainda estou atualizando as imagens quebradas do Blog -- mais uma página de backlog e algumas postagens perdidas foram atualizadas. Logo logo tudo estará no ar corretamente e podendo seguir em frente.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Rage Against the Artistic -- Como evitar?

Postagens Recentes do meu Instagram, em: https://www.instagram.com/prixdekanun/
Tenho plena consciência do ridículo que é dizer que está de volta em 25 de Janeira e ficar praticamente 3 meses sem postar nada. Por essa falha, me desculpem. 

Pra dizer a verdade, 2018 me trouxe sentimentos em relação ao meu "fazer artístico" (se é que eu posso chamar assim), que há tempos eu não sentia... O principal deles:


Parece doido dizer que uma prática a qual a gente normalmente recorre pra relaxar venha causando esse efeito, mas é verdade. Estou sempre com raiva. E pra ser sincera, nem me incomoda tanto essa questão de "relaxar", porque eu sempre considerei isso um efeito colateral, não meu principal objetivo mas... Estou com raiva, sempre.

Raiva te estar em um ponto do meu desenvolvimento em que viver disso, sobre qualquer forma, não é uma opção. Raiva de todo o resto da vida ter prioridade sobre isso -- então pilhas de sketchbooks, caixas de materiais e referências se tornam inquisitivas e não inspiradoras. O sketchbook ao meu lado me dá a entender muito mais um "E aí? Nada de novo não é?" do que um "Venha aqui amiguinha!"

E então eu sigo feeds de artistas e ilustradores, e eles me parecem tão perdidos sob o ponto de vista de marketing/business do seu próprio fazer artístico, e fico com raiva do "Deus dá asas pra quem não sabe voar". Acompanho os grupos de Desenho do Facebook e é tanto erro primário de português, tanta gente perguntando "lápis bom pra desenho realista" (naquele nível "o material mágico que vai mudar a minha vida"), que a minha raiva com um setor que quer reconhecimento profissional mas ainda é tosco em todos os demais aspectos ainda piora.

Por último, tenho raiva de mim -- principalmente pq eu sei o que gera toda essa raiva: CONSUMIR DEMAIS, PRODUZIR DE MENOS.

Raiva e Indigestão Informacional

Feeds da artististas no Twitter, Facebook e Instagram são legais -- inpiram e fazem babar, na maior parte das vezes. Vídeos de "Sketchbook Tour" no Youtube também são legais -- mas quando você quer desenhar e pintar, nada substitui ter um sketchbook ou pasta cheios e poder dizer "olha tudo o que eu fiz no último mês". Se você não tem esse registro, se você não sabe o que está fazendo e onde está indo, é normal que a frustração se instale. E da frustração para a raiva é um pulo.

O consumo dessas informações, no final das contas, se assemelha bastante ao consumo de comidas com alto teor de carboidrato e gorduras -- na hora pode até parecer uma delícia, mas a indigestão e o mal estar que provocam, quase sempre não valem a pena.

Menos é mais

Outro aspecto importante da prática artística é o foco: saber o que você quer fazer e onde está indo. Tenho comprometido essa questão desde o meu último Inktober. Eu adoro essas artes com linhas bem marcadas. Essa gente que desenha só com tinta e faz trabalhos super detalhados que não precisam de aplicação de tons para serem compreensíveis. Gente que é "boa de linha" -- o que não é o meu caso. Eu tenho tentado, mas falta bagagem. Insistir nisso (e de maneira meio aleatória como eu tenho feito, tem me frustrado bastante).

E desenho e pintura são áreas de estudo em que a frustração são constantes se o objetivo não for traçado com cuidado. São tantas coisas e assuntos para aprender e praticar, tantas técnicas, que se você não tomar cuidado desiste por se perceber com proficiência mínima em todas. Quando eu era menor, e queria colecionar os livros da Globo sobre desenho e pintura, tinha essa ilusão de que seria uma "artística completa" quando dominasse todo aquele conjunto de coisas... Que uma artista completa saberia pintar a óleo, aquarela, acrílica, guache, lápis de cor, pasteis -- e que exibiria igual proficiência em temas como figura humana, paisagens, animais, naturezas mortas. E embora eu saiba hoje em dia o quanto isso é irreal, racionalmente, eu admito: uma parte importante de mim ainda sente que isso é verdadeiro, e faz com que eu oscile... Ora eu faço algo mais estlizado, próximo ao cartoon, outras horas eu faço algo com ambições mais realistas.

E nessa indecisão de temas, materiais e abordagens eu fico sempre patinando aos trancos e barrancos na mediocridade em todos eles. Resultado? Mais frustração, e mais raiva.


Mais um componente que eu não sei o nome

Além de tudo isso, existe mais um "componente da raiva" que eu não consigo identificar. Eu sei que está relacionado com essa coisa de todo mundo com ambições artísticas abaixo de 25 querer ser ilustrador enquanto desenha o mesmo tipo de coisas no Instagram e com o fato de todo mundo acima de 35, quando mantém esse "fazer artístico" assume esse mote "Sketchbook Skool" de "qualquer coisa tá valendo, o que vale é a experiência". Fico irritada com essa dicotomia de uma fase em que tudo se justifica na construção de uma carreira e que depois de certa idade "o importante é participar" -- como quem diz "se não é por dinheiro, qualquer coisa tá valendo".. Como se fosse meio "criminoso" buscar a excelência em algo que não tem finalidade profissional/financeira imediata. Um "culto ao amadorismo tosco", por assim dizer -- que só é um hobbie se for feito nas coxas e sem grandes expectativas.

Resumindo...

Como evitar essa raiva? Boa pergunta. Ainda estou no processo de tentar vencê-la. Mas algo me diz que parar de consumir tanto a produção alheia (seja de trabalho, seja de ideias) e focar mais na minha prática e consistência, terá um impacto benéfico em tudo isso.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

O que fazer com o desânimo!?

Por mais que eu tenha me comprometido a postar todo e qualquer rabisquinho por aqui e por mais que eu saiba que tudo que se faz é evolução... Às vezes cansa não é mesmo?

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Não é toda prática que leva a perfeição...

Teoricamente eu sei o que eu deveria estar fazendo. Deveria estar selecionando um determinado assunto ou tema (figura humana, anatomia, poses etc.), selecionando uma série de referências, praticando rascunhar a partir dessas referências até aumentar a memorização das formas na minha biblioteca mental, e depois trabalhar esse mesmo assunto/tema em diversas técnicas, para praticar melhor cada uma delas (lápis, aquarela, nanquim, lápis de cor... O que desse vontade de praticar).

Mas na prática, isso não acontece. Não, como já visto, porque eu não saiba o que devo fazer, mas porque no final de um dia cheio de outras obrigações, eu resolvo separar no máximo uma meia hora pra rascunhar alguma coisa antes de cair de sono no dia com a sensação de que eu não fiz nada por mim... Ou seja, no final, embora eu tenha "praticado", isso não confere tanta melhoria -- a prática para evoluir é outra (deliberada e verificável). A realidade, no final das contas, é bem mais triste do que o sonho de ter tempo e espaço para dedicar a isso -- mesmo que, por hora, essa não seja uma atividade com potencial de sustentar a vida financeiramente.

 Durante muito tempo eu me debati com a ideia do por quê? Por que uma mulher que já passou dos trinta há um bom tempo, e que não ganha dinheiro com isso, deveria investir mais tempo em dinheiro em uma atividade como essa, sem nenhuma contrapartida financeira... Vou mesmo ficar comprando material, sentando pra fazer esse tipo de rabisco quando tem projeto na fila, louça pra lavar, casa pra arrumar?

Atualmente eu ainda não achei uma resposta que me satisfaça 100% -- mas uma coisa eu sei: eu não tenho escolha. Eu posso viver dividindo o tempo entre isso e todo o resto... Ou posso murchar pra tudo. Fechar isso dentro de uma caixinha de deixar pra lá não é uma opção.

Talvez esse tipo de coisa são seja simplesmente um dom.
Talvez seja apenas maldição -- que nada mais é que um dom ou talento que ainda não encontrou expressão.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Inktober firme e forte... No Instagram.

Depois de mais de um ano de postagens automáticas do Instagram para cá, eu resolvi dar uma parada no script. É vantajoso saber que o blog está sempre sendo automaticamente atualizado mas... Eu gosto de escrever junto com as imagens, e o Instagram gera um post muito feio por aqui (não consigo parar as tags, não consigo ter paragráfos na postagem, essas coisas...

Além disso, só gostaria de dizer que o Inktober 2017 vai firme e forte por lá -- com uma pequena falha no dia 11/10, quando o cansaço não deixou. Ainda continuo me inspirando nos retratos de moda das revistas para o desafio desse mês, comprometida com o nanquim vermelho e arrependida amargamente do papel escolhido esse ano (mas vou falar mais sobre isso no final do mês, no tradicional post de "aprendizados" do desafio).

No mais, estou mantendo o compromisso apesar de todo o desânimo atual. Tem horas que eu acho que as coisas estão feias demais até para um Hobby... E fico pensando se tudo isso ainda vai me levar a alguma coisa, já que a alegria do trabalho feito dura no máximo uns 15 minutos... O tempo médio entre "que legal, completei mais um" e "minha nossa, quantos erros".

Ainda vou continuando pq esse ano o objetivo maior é bater a produção de todos os anos anteriores e... Finalmente está começando a parecer viável (dado que os anos anteriores sempre foram tão pífios). Quero acabar o sketchbook do Inktober (que tem 40 páginas, e já foram 11) e mais o sketchbook canson atual até o final do ano... Quem sabe pegando "ritmo", 2018 se torna um ano bem melhor.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Só de olho em como melhorar no desenho...

Para variar um pouquinho, um rabisquinho que não cruzou a barra para o Instagram, especialmente para ilustrar esse post... Faz tempo que não escrevo por aqui diretamente -- estou envolvida, atualmente, na tentativa de engatar de verdade com o hábito de rabiscar diariamente, e as publicações no Instagram tem ajudado nessa questão de ficar visível o resultado... E ainda fez com que o blog não ficasse tão parado por aqui.

Tenho pensado muito naquilo que posso fazer para melhorar no desenho... Depois de tantos textos sobre aprendizagem, garra, evolução etc., cheguei a conclusão que a melhoria é resultado de 03 coisas básicas: Diversão, Prática Deliberada e Trabalho no Dia a Dia... É a diversão que faz a gente gostar da coisa, a prática deliberada que faz a gente "consertar" e aprender peculiaridades mas, é a "água batendo na bunda" do trabalho cotidiano que faz a gente "performar" (como misteriosamente gosta todo gerente de RH).

Não é de se admirar que seja realmente mais difícil aprender depois de adulto -- quando o tempo para diversão é restrito, a gente não quer gastar o tempo que tem com práticas "chatas" e quando o ganha pão depende de outras atividades.

Por conta disso, estou pensando em como integrar tudo isso em uma prática pessoal -- em como ter tempo para se divertir com o desenho, em ter tempo para analisar as principais deficiências e trabalhar nelas e, ter algum tipo de saída com objetivo financeiro para isso -- mesmo que por hora seja o tipo de produto que ninguém pediu, e ninguém quer (é a vida, não é mesmo?).

É claro que esse comprometimento não conseguirá acontecer no volume e quantidade que alguém de 17 anos poderia colocar na coisa mas... Dá pra abraçar o "devagar e sempre", já que, na verdade, são os hábitos constantes as ferramentas mais capazes de gerar mudança e evolução. E eu estou toda na internalização do "vamos mudar os hábitos primeiro"... Quem sabe agora engata.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Retrospectiva de Rabiscos em 2016

1. sk_2016_0001, 2. sk_2016_0002, 3. 20160715_132653, 4. Às vezes sobra um tempinho pra respirar e rabiscar mini-cabeças lânguidas no cantinho do caderno., 5. sk_2016_0004, 6. sk_2016_0005, 7. sk_2016_0006, 8. sk_2016_0007, 9. sk_2016_0008, 10. sk_2016_0009, 11. sk_001x400_2016, 12. Desculpe o incomodo -- Apenas testando se meu lettering de pobre vai parar no Blogger. #sketchblock, 13. Me preparando para o #inktober 2016, pirando nos rabisquinhos. Vai tudo pro #sketchblock, 14. First day... Messy, messy, messy #inktober #inktober2016 #sketchblock, 15. Inktober Day 2, late! #inktober #inktober2016 #sketchblock #sketchbook, 16. Inktober Day 3 -- Almost in Pace!!! #inktober #inktober2016 #sketchblock #sketchbook, 17. Inktober Day 4 -- Just one more to go! #inktober #inktober2016, 18. Inktober Day 5 -- Practicing textures... E postando de madrugada pra não correr o risco de muita gente ver... Tem dias que fica uó, não dá pra evitar. #inktober #inktober2016 #sketchblock #sketchbook, 19. Inktober Day 6 -- Mais um e eu bato o recorde do ano passado... Que foi bem baixo, rs. #inktober #inktober2016 #sketchblock #sketchbook, 20. Inktober super atrasado. Não vamos nem comentar as impossibilidades. #inktober #inktober2016 #sketchblock #sketchbook, 21. IMG_20161017_195858723, 22. Inktober, late really late. #inktober #inktober2016 #sketchblock #sketchbook, 23. Inktober. Atrasado, late, tarde, in ritardo, tard... Deu pra entender. #inktober #inktober2016 #sketchblock #sketchbook, 24. IMG_20161027_081226754, 25. Se continuar todos os dias até o final do mês, dá para enganar que a intenção era fazer dia sim, dia não, rs. #inktober #inktober2016 #sketchblock #sketchbook #sketchs #rabiscos, 26. Vai chegando no final do mês e a vontade, cuidado, ânimo e tudo isso vai chegando ao fim. #inktober #inktober2016 #sketchblock #sketchbook, 27. Desafio de Novembro vai ser o desenber... Só desenhando mais pra parar resolver as torturas. #inktober #inktober2016 #sketchblock #sketchbook, 28. Será que se eu inventar um "Esferovember" vira alguma coisa? Rs #dailysketch #sketchblock #sketchbook #biro #esferografica, 29. E o #esferovember que é só meu continua, rs. No episódio de hoje aprendemos a parar de falar que qualquer papel e caneta está bom -- esse #sketchbook tem sulfite 75g e agora está marcado pelas próximas 3 folhas só no peso da caneta. É o que eu digo: "a vi, 30. Tem dias que tudo que sai é autorretrato do capeta. #dailysketch #sketchblock #sketchbook, 31. Um pouco mais baixo no índice de autorretrato do capeta, rs. #sketchblock #sketchdaily #sketchbook #pendrawing #dailydraw, 32. Rabisquinhos de ontem, pq hj foi triste -- vai ficar lacrado, rs. #sketchblock #sketchbook #sketchdaily #pencildrawing #artjournal #dailyart, 33. Back to basics. #sketchblock #sketchbook #dailysketch #dailyart #artjournal #pencildrawing, 34. Tem horas que todo rabisquinhos possível acontece no único papel que temos a mão. #sketchblock #sketchbook #dailysketch #dailyart, 35. 📌 Naquele momento em que vc para o rabisco pq está tarde e vc não quer estragar, rs. #sketchblock #sketchbook #dailysketch #dailyart
Como a esperança nunca morre, assim como com o ano de 2016, a gente sempre espera que algo bom aconteça até o final do ano pra poder melhorar a retrospectiva... Mas na falta, melhor garantir que a retrospectiva seja feita de qualquer jeito.

2016 não foi meu ano ideal. Tinha planos de bater a produção de todos os anos, e não consegui que a média ficasse nem entre os melhores -- grande parte do que eu fiz foi feito no Inktober, e mesmo esse não saiu como eu esperava.

Gostaria de dizer que não impacta, mas impacta: não estar realizando nenhuma aula presencial tem um impacto direto no meu nível de produção -- principalmente no quesito "quantidade". Nessa história de ficar por conta em casa, a gente sempre acha que pode colocar a coisa na linha a qualquer momento... E de "qualquer momento" em "qualquer momento" o ano termina.

Melhoras para 2017.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Inktober... Vai indo.

Mês de Outubro está sendo dedicado -- na medida do possível -- ao desafio do Inktober: um mês finalizando desenhos e rabiscos em tinta. Embora eu esteja numa fase um tanto revoltada com "puristas" em todas as categorias, quando o assunto é Inktober eu acabo sendo um pouco purista no conceito, e não ando satisfeita com o que estou fazendo.

A visão "purista" do desafio, é melhorar suas capacidades em "inking" que em português é a boa e velha arte final em nanquim/tinta preta. Quem já desenhou em lápis de qualquer cor e depois tentou "contornar" com nanquim ou caneta nanquim (fazer a famosa arte final) sabe que o desenho mais lindo e espontâneo fica engessado e travado quando as suas habilidades de arte-finalizar são limitadas. E esse Inktober deixou isso claro como a luz do sol para mim.

Desde então, eu tenho tentado brincar com algumas coisas: grafismos para aplicar luz e sombra no traço; nanquim amarelo para "colorir", e nesse exibido aqui: um pouco de aquarela. Nenhuma dessas coisas muda um fato básico: eu abordo o desenho de forma amadora, no mais claro sentido de "despreparada".

Não é uma questão de saber ou não desenhar -- estou cada vez mais convencida que as pessoas como eu, que tem problemas em desenhar o que querem, estão errando na abordagem mais do que nas habilidades...
  • A gente começa sem saber o que vai desenhar...
  • A gente começa sem referências.
  • A gente começa sem fazer sketchs de composição e thumbnails.
E de alguma forma a gente espera um resultado profissional, fazendo as coisas de um jeito que nem um profissional faria. E não tem como arte-finalizar bem desenho tosco... Simplesmente não é possível resolver problemas estruturais de casa, passando massa corrida.

De qualquer forma, gostei dessa coisa "temática" por mês -- ando bem inclinada a trabalhar um mês de aquarelas em Novembro. E quem sabe, para o mês que vem, eu consiga essa coisa de preparar um pouco antes de desenhar.

domingo, 21 de agosto de 2016

Tortinho, na cara larga...

Rabisquei um rosto um pouco mais largo do que deveria (a esquerda). Ao terminar, percebi que tinha algo meio torto... Eu ainda me pergunto porque a gente só vê essas coisas depois que termina? Coloquei no Photoshop para ter certeza e ajustei (a direita)  -- só pra ver se eu não estava variando mesmo, não queria fazer uma correção perfeita... E não é que estava bem tortinho mesmo? Pouca coisa, mas faz uma diferença tremenda no resultado (tudo na vida é assim mesmo, não é?). Acho que é o que acontece quando você "pega em armas" sem muita frequência.

terça-feira, 5 de abril de 2016

Como construir um "Bloqueio Criativo" - BEDA #5

Em apenas duas páginas feias, testes de esferográficas, grafite e aquarela.
Não, você não leu errado -- eu não pretendo te ajudar a sair do buraco do "bloqueio" criativo... Até porque se eu soubesse como, não estaríamos tendo essa conversa. E para ser sincera, eu nem gosto muito dessa história de "bloqueio artístico" ou "bloqueio criativo" -- por isso que estou usando aspas até agora... Eu ficaria mais feliz com um termo como "ressaca criativa" ou "mal-estar criativo"; porque "bloqueio" sempre me dá a ideia de algo externo que é colocado entre você e a sua produção criativa, qualquer que ela seja...

Você está lá, de boas, fazendo tudo certinho e BANG! Cai um bloqueio na sua frente e não sai mais nada.. E agora? Será que a defesa cívil virá lhe ajudar?

Pra mim nunca foi assim... Sempre foi uma questão de construção de barragem mesmo... Pequenas más escolhas, acumuladas ao longo do tempo, e que levaram a travar qualquer vontade e produção. Entre elas:

1 - Falta de Foco.
Não saber o que quer praticar, ou querer praticar tudo -- e acabar não praticando nada. No momento eu estou com vontade de praticar desenhos a grafite, voltar ao básico... Mas aí eu lembro do lápis de cor... E aí eu vejo que todo mundo está fazendo aquarelas... E nessa vontade de fazer tudo -- e encontrar, por exemplo, um sketchbook que esteja preparado para tudo isso, eu não faço nada.

2 - Perfeccionismo.
Essa é um clichê, mas não deixa de ser verdade por causa disso: sempre que eu foco na qualidade (ao invés de focar na quantidade) o resultado é uma queda geral nos dois. Ver um monte de vídeos no youtube e páginas de artjournal lindas por aí não melhora... Cria uma pressão desnecessária.

3 -Indisciplina.
Não colocar a prática como prioridade. O que faz com que você faça algo um dia, no outro não e talvez retome daqui a duas semanas (ou mais). Essa indisciplina, essa falta de constância, está também ligada a falta da foco -- nesse caso o que falta é um propósito claro do porque fazer isso.

E agora, como a gente sai dessa?
Para ajudar a sair dele, conte com a ajuda dos especialistas:

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Sketch Perdido - BEDA #04

sk_2016_0004

Esqueci de publicar esse sketch na sequência em que foi feito... Veio bem a calhar em um dia como hoje: a dez minutos do final do dia, e quando eu não tenho absolutamente nada a dizer depois de um dia COMPLICADO... Calma aê, que amanhã tem mais.

sábado, 2 de abril de 2016

Sketchbook da Bolsa - BEDA #02

Nem precisa ler esse blog há muito tempo para perceber que eu tenho problemas com Sketchbooks... Eu os coleciono mais do que eu coleciono sketchs.

Mas ontem estava folheando esse que eu considero "meu sketchbook de bolsa", e cheguei a conclusão de que apesar de ele já ter atravessado alguns anos, ele é o que melhor executa a proposta de sketchbook... Aquele caderninho que está sempre a mão quando você quer rabiscar qualquer tranqueira -- não se pergunte "ué, mas não é função de todos os sketchbooks serem esse companheiro portátil?" pq nada é tão simples por aqui.

Se você é o tipo de pessoa que abre seu sketchbook em qualquer lugar, puxa a primeira caneta ou lápis que aparecer e começa a rabiscar... Eu lhe invejo. Minha "prática" (se é que podemos usar essa palavra) envolve algo como:

1 - Escolher "o sketchbook" -- aquele caderno abençoado pelos sacerdotes de algum monte, e que está impregnado pela musa da inspiração... Pois com ele eu realmente vou começar a desenhar direito -- em quantidade e em qualidade.

2 - Montar um estojinho "básico" de bolsa, que contenha pequenas amostras daquele "básico" que você sabe que todo mundo REALMENTE PRECISA para começar um sketch: lápis grafite em todas graduações, 03 graduações de lápis carvão, lapiseiras com grafite azul e vermelho nas espessuras 0.5,0.7,0.9 e 2.0; canetas nanquim descartáveis, lápis dermatográfico, borracha limpa tipos, borracha normal, caneta borracha, caneta borracha elétrica, apontador, estilete e qualquer outra coisinha "extra" só pra estar precavida se a inspiração aparecer.

3 - Possuir a bolsa/sacola CERTA que comporte esse sketchbook, o estojo, ofereça o espaço necessário para as demais coisas BÁSICAS que toda mulher deve carregar -- imagine o BÁSICO feminino com base no BÁSICO do estojo -- ser fácil de abrir e acessar em qualquer lugar, além de oferecer certa inspiração artística.

Se eu tiver essas pequenas coisas, é possível que eu abra esse sketchbook de seis em seis meses vez ou outra e rabisque alguma coisa.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

BEDA - Blog Everyday Abril 2016

-- Ô Koh-I-noor, sua aquarela em pastilha nao é melhor do que da Faber... -- Ô Priscilla, que tal não testar em sulfite vagabundo? -- Ahhh,'fica pra próxima!
Entrando aos 45 do segundo tempo pra dizer que vai ter BEDA (Blog Everyday Abril) por aqui -- só para compensar a falta  de postagens recentes...

Esse rascunhinho fajuto aí é resultado da compra de uma aquarela básica que eu comprei (da Koh-I-Noor), estilo a básica da Faber-Castell, para ficar fazendo rascunhos.

Por conta dela, eu já descobri algumas coisas:

1. A aquarela da Koh-I-Noor não é muito diferente da da Faber-Castell... Nem em preço, nem em qualidade.

2. Os Sketchbooks básicos da Hahnemulle não aguentam aquarela, apesar da folha grossa... O sketchbook mais básico da Canson (o Art Book One), apesar da folha mais fina, aguentam lindamente.

3. Com aquarela, ajuda ter ideia do que você vai fazer, antes de começar.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

E lá vamos nós... De novo!


Não quero que esse seja mais um ano de rabiscos toscos e sem sentido mas... Parecem que eles me perseguem, rs. Está difícil voltar pra cá regularmente -- tem algo me incomodando com relação a praticar desenho de maneira eventual, que eu ainda não sei como abordar corretamente por aqui, e nem sei se devo na verdade. Vou tentar superar!

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Minhas Sinceras Desculpas

Pela milésima vez, peço desculpas. Deixei quem ainda visita o blog na mão, me deixei também na mão. Logo depois do último post, fiquei ruim, perdi o ânimo e comecei a me perguntar se qualquer coisa dessas vale a pena.
 
Recentemente, depois de muito considerar, cheguei a conclusão que vale a pena sim... De um ponto de vista bem pessoal... Mas tudo bem.
 
Segunda-feira estou de volta a programação proposta... Enquanto isso, deixo com vocês um resultado dos poucos trabalhos do #inktober.

domingo, 23 de agosto de 2015

Sem cabeças para nada... Nem a minha.


Sim, é uma tristeza mas... Eu só tenho mesmo essas coisinhas feias para mostrar. Não é que eu não esteja pensando no blog, muito pelo contrário: a partir de amanhã, e com um acontecimento especial para dia 31/08 (É surpresa!), o blog ganha atenção especial mas... Desenhar mesmo, tem sido sofrido - esses rabisquinhos no sketchbook A6 da TeNeus tem sido tudo o que eu consigo fazer, enquanto tomo o meu leitinho pela manhã e a Lívia ainda não percebeu que a mamãe tem lápis/lapiseiras/canetas legais nas mãos.

Dica: Para quem está em São Paulo, e tem acesso fácil ao metrô, eu recomendo dar um pulo em uma das lojas Daiso (endereços aqui: http://www.daisojapanbrasil.com.br/). Como quase tudo por lá é 6,99 (a alta do dólar quebrou um pouco a coisa do "preço único"), tem uma caneta tinteiro bem legal por 6,99 - simples, mas funciona bem para quem quer ter uma pena para rabiscar sempre à mão.



Estou tentando me forçar a desenhar de imaginação ultimamente, mas está difícil... Ainda falta saber de fato o que eu gostaria de estar desenhando. Figura humana sempre alegra a moça aqui, então eu vou tentando.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Rabiscos da meia noite.

Estou com novidades em andamento para esse blog... Mas enquanto elas não chegam, eu fico postando os rabisquinhos da meia noite (aqueles feitos depois que a bebê dorme) no Instagram!

Dá uma olhada lá:
https://instagram.com/prixcnunes/

E junte-se ao meu coro "eu preciso de um celular com uma boa câmera", rs.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Rascunhos para trabalho


Voltando a desenhar em lápis vermelho no sketchbook... Por quê? Porque eu gosto, rs. Na verdade a ideia é escanear o rabisco a seguir e usar de base para vários treinos: arte final em nanquim, pintura em lápis de cor, pintura em aquarela e, se aguentar, acrílica.

Quero ver como fica em diversos acabamentos... Vamos ver.