Mostrando postagens com marcador Por que desenhar?. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Por que desenhar?. Mostrar todas as postagens

sábado, 12 de julho de 2014

Pisando em águas desconhecidas...

Sketchbook Skool começou em 04/07, e no momento eu me pergunto onde eu estava com a cabeça de gastar R$ 245,00 nisso. Não, o curso não é ruim... O ruim é gastar esse valor apenas por motivação; e ainda não saber como passar por um certo preconceito que eu tenho em relação a "Art Journals". É realmente isso que eu quero fazer, artisticamente falando? No meu outro blog, eu estava discutindo que talvez fosse a hora de me conformar com a extensão das minhas capacidades "artísticas" e sentar alegremente ao lado das tiazinhas que fazem pinturas a óleo de cavalos para colocar nas paredes de pizzarias e restaurantes... Em menos de um mês eu estou fazendo 34 anos e, chega uma hora em que você tem que aceitar que muito que você desejou e sonhou para a sua vida simplesmente não vai acontecer. Sinto muito se essa "vibe" para baixo deixa triste alguém que passe por aqui em busca de "inspiração", mas é assim que eu me sinto ultimamente, e é isso que está refletindo negativamente na quantidade de postagens não feitas nesse blog.

Rabisco - 01/10/2011
Olá! Eu sou uma "arte naif";
que veio lá de 2011
para assombrar você!


De qualquer forma, acabei resgatando um Sketchbook de 2011 no qual eu só tinha utilizado uma página com a Arte Naif ao lado (sim, eu tenho vergonha de dizer que vários desses existem, ao longo dos anos, que quando você não sabe muito bem o que está fazendo, o melhor é chamar de Arte Naif mesmo, rs)... Ele aguenta bem aquarela, e como a ideia é fazer um diário com o dia a dia em alguns materiais diferentes... Bem, mais diferente do que eu estou acostumada, só aquarela.

E aquarela é uma tristeza a parte... Comprei uma Talens Van Gogh há uns 02 anos, de 15 pastilhas, ótima aquarela -- para o dia em que eu aprendesse... Mas aí eu moro em uma casa muito úmida, e toda vez que vou olhar a aquarela ela deu uma mofada em cima... E lá toca eu limpar todas as pastilhas com extremo cuidado para perder o mínimo de tinta possível. Acabei chegando a conclusão que, se eu não usar ela agora, mesmo sabendo "meiaboquisticamente" como utilizá-la, guardá-la para o futuro é quase garantia que ela não verá a luz do dia.

Detalhe do detalhe desenhado na primeira página depois de 2011
para dizer que dalí para frente eu estaria pisando em 2014.
E aí, para não ficar completamente travada, eu rabisco essas tranqueiras, que em minha defesa eu não gostaria de compartilhar nem com um terapeuta tentando entender a minha mente...O que me leva a repensar a questão do "compartilhar tudo"... Há 06 anos atrás quando eu realizei o desafio do Zen Habits e desenhei durante um mês inteiro, qualquer coisa, compartilhar tudo tinha sentido. Hoje em dia, no entanto, eu tenho as minhas dúvidas...

Preferia mostrar apenas quando eu faço coisas assim:

Rascunho 29

Ao invés de coisas assim.



sexta-feira, 4 de julho de 2014

Renascida em 4 de Julho!

Poderia dizer muita coisa sobre esse post, porque muita coisa está passando pela minha cabeça agora... Não ter sido escolhida como aluna especial no segundo semestre e estar chateada com isso (o primeiro semestre foi tão bom); estar cheia de trabalho de um tipo que eu "jurei" que não faria mais; o fato de ser mais de meia noite (e tecnicamente sexta-feira) e eu ainda estou dando tapas no artigo que é para entregar amanhã; o amigo que se foi recentemente por vontade própria e que era minha referência que a farinha desse saco poderia dar em alguma coisa, mesmo que o meu bolo encruasse (essa ainda vai ter mais análise no futuro) mas...

Como eu podia estar matando, eu podia estar roubando, mas estou aqui apenas atrapalhando a viagem dos senhores passageiros, resolvi dizer que acabei me matriculando na Sketchbook Skool. Se alguém perguntar, culpem o Franz Ferdinand... Longa história.

Talvez eu não devesse estar investindo dinheiro nisso no momento, mas resolvi me dar um desconto. Não só porque o inferno astral está chegando -- ou até por conta disso mesmo... Os 34 anos estão batendo na porta, e eu estou precisando de uma "calibragem de sonhos". Talvez esteja na hora de pegar minhas "ambições artísticas" e sentar ao lado das tiazinhas que pintam cavalos a óleo para parede de pizzaria/churrascaria, e simplesmente tentar estar contente com isso.

Be as it is, (estou vendo Geração Brasil demais), são seis semanas de cursos com ótimos artistas/ilustradores e seus sketchbooks maravilhosos, e se você quiser se inspirar um pouco, eu recomendo seus respectivos blogs. A cada semana teremos aula com um deles.
Semana 01:
Danny Gregory
http://dannygregorysblog.com/

Semana 02:
Koosje Koene
http://koosjekoene.blogspot.com.br/

Semana 03:
Prashant Miranda
http://prashart.blogspot.com.br/

Semana 04:
Jane LaFazio
http://janelafazio.com/

Semana 05:
Roz Stendahl
http://www.rozwoundup.typepad.com/

Semana 06:
Tommy Kane
http://tommykane.blogspot.com.br/
Para deixar o gostinho, fica o vídeo:


Sketchbook Skool - the film from DannyGregory on Vimeo.
Welcome to Sketchbook Skool! Sign up at sketchbookskool.com

segunda-feira, 17 de março de 2014

Mamilos pro Zuckerberg!

Feliz Saint Patrick's Day a todos! 

Como São Patrício expulsou as cobras de toda Irlanda, espero que ele possa pelo menos expulsar as minhocas da cabeça dessa que vos fala.

Estava pensando em deixar esse rabisco tosquinho sumir numa pilha de próximos a serem postados mas... Desde 11/03 ainda não consegui essa coisa supervalorizada de "próximos"... E como eu vou voltar agora com os meus rabiscos um pouco mais zelosos como do ano passado (vou deixar essa coisa de "Art Journaling" mais escondida até ganhar volume para o que há de ruim passar despercebido), é provavel que esse rabisco destoasse um pouco das próximas postagens.

Mas existe uma série de motivos para postar isso por aqui (daqueles motivos que provavelmente me deixam feliz, mas não fazem a mínima diferença para você querido leitor -- ou será que faz?):
  1.  Depois de anos de luta, consegui um software no Photoshop que faz com que o scanner "enxergue" direito desenhos a lápis... Aproveitei até para re-escanear alguns do ano passado que me deixavam muito descontente com o resultado.

  2. O bom de você ter sua própria plataforma, é que você põe aquilo que lhe apetece, diferente do que você poderia fazer no Facebook, por exemplo! Tome esses mamilos Mark Zuckerberg!

  3. Desenhei minha caneca predileta num dia... Quebrei a dita cuja no outro depois de 03 anos... Acho melhor tomar mais cuidado... Não com a caneca, mas com aquilo que desenho.
Bem, é isso!
Na próximo venho com notícias sobre os livros.

07/365
07/365 - Ainda nessa de tentar aprender o tal do "Art Journaling".

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Retrospectiva de Outubro

Estou um pouco envergonhada com essa postagem -- em 2013, já tivemos meses fracos, embora nenhum como esse. Gostaria de dizer que tudo aconteceu por motivos de força maior, que eu me envolvi demais com o TCC (não, não me envolvi); que a dor nas costas continuou me matando (não, não está) ou que eu estou dando o dobro de gás nos freelinhas para garantir os meses em que tudo o que vou fazer é dar de mamar e trocar fraldas mas... Nem isso.

Várias coisas passaram pela minha cabeça esse mês -- e não foi possível dividir tempo entre elas e o desenho. Embora as coisas estejam um pouco bem mais claras agora. Veja, essa postagem de "retrospectiva" é sempre feita quando eu sei que não vou mais desenhar no mês, e programada para ser publicada no primeiro dia do mês seguinte; então é possível (embora eu não coloque minha fé nisso) que na próxima postagem eu diga algo diferente mas... A função e o porque eu preciso/quero/devo manter esse blog está muito mais clara.

Não, eu não sei como alguém que desenha nesse nível ainda tão tosco faz para ganhar dinheiro com isso -- e ganhar dinheiro com qualquer coisa que pague as contas e não devore a minha alma é a coisa que mais toma o pensamento ultimamente mas... Eu sei que já fiz outras escolhas bem "sensatas", com empregos/empreendimentos que deveriam pagar as minhas contas e serem executáveis dentro das minhas habilidades mais fáceis mas as coisas nunca funcionaram dessa forma então... Na lona por obrigação, na lona por paixão.

Dia 31 de Outubro, meu amanhã e o seu ontem (nesse blog oferecemos viagens no tempo gratuitas) era o meu último dia para entregar o TCC. Não sei o que deu (embora tenha um palpite um pouco nefasto). Meu lado "sensato" não via a hora de se livrar disso... Ele fez, de novo, o investimento em uma pós graduação que fizesse sentido dentro da minha área de atuação profissional... E sinceridade? Teria sido muito mais útil e compensador ter gasto a mesma grana em aulas de pintura a óleo ou artesanato.

Eu gosto de escrever, eu gosto de produzir coisas esteticamente agradáveis mas... Acima de tudo eu gosto de coisas "produzidas" e mão na massa. Eu consigo, muito bem, trabalhar com abstrações, planejamentos, documentação -- e isso garantiu que eu fizesse um trabalho profissional/corporativo muito bom, por muito tempo... Mas como todas as coisas que não devem ser, não resultou em satisfação ou resultados. Então a partir de 01 de Novembro, porque eu preciso encontrar meu caminho e oferecer a minha filha algo melhor do que "o mundo é cão querida!", eu vou começar a investir mais nessas coisas que eu deixei de lado.

E seja o que for pra ser... Que o que não era para ser já foi.
Muito complexo por hoje? Prometo melhorar.

Retrospectiva de Outubro
1. Not available, 2. Not available, 3. Not available, 4. Not available, 5. Rascunho 626. Not available7. Not available8. Not available9. Not available

domingo, 1 de setembro de 2013

Retrospectiva de Agosto

Primeiro dia do mês é dia de fazer a retrospectiva do mês anterior -- então sem mais delongas, vamos a ela. Estava com medo que Agosto fosse um mês tão improdutivo quanto junho e julho, mas felizmente nos últimos momentos do mês parece que as coisas acabaram descongelando. É lógico que eu tenho uma certa dor no coração de mostrar um mosaico com áreas em preto; fico bem mais feliz quando eu consigo trabalhar com múltiplos exatos -- coisa de quem tem um TOC ainda não diagnosticado -- e estava esperando conseguir chegar em 09 rabiscos até o final do mês mas... A gente já fica feliz com o que consegue. Gostei de colocar um pouco de cor nesse mês (mês do meu aniversário), mas no que se referem as metas imaginárias que deram origem a esse blog, ainda existe muita coisa a ser trabalhada.

Esse ano ainda está em 7º lugar entre os anos mais produtivos (levando em consideração os últimos 20), ainda não consegui acabar com o primeiro sketchbook do ano (a meta era 10, lembra?) e sinceramente não sinto que eu tenho avançado em nada nas minhas habilidades -- para ser sincera, tem coisas que eu sentia que eram mais fáceis antigamente. Mas deve ter algum sentido na frase "Devagar e sempre".

A retrospectiva que ilustra esse post...

Retrospectiva de Agosto
1. Rascunho 49, 2. Rascunho 50, 3. Rascunho 51, 4. Rascunho 52, 5. Rascunho 53, 6. Rascunho 54, 7. Rascunho 55

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Retrospectiva de Julho

Retrospectiva de Julho
Empate técnico com o mês passado.
Para comentar de maneira adequada o que foi o meu mês de Julho por aqui, eu precisaria de um arquivo de áudio -- daqueles que mostram uma profunda decepção quando algo não sai como esperado. Ainda fico surpresa -- depois de tantos anos, Julho ainda é sinônimo de férias e eu não faço grandes coisas fora do obrigatório; e o problema é ainda não ter colocado o desenho como obrigatório.

Por via das dúvidas, e como a esperança nunca morre, a gente despacha a retrospectiva do mal fadado mês apenas para me livrar dele.
Retrospectiva de Julho
1. Rascunho 46, 2. Rascunho 47, 3. Rascunho 48

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Desenhando no Frio... Começando Julho.

Começando Julho com uma meta: acabar de uma vez com esse sketchbook atual. Não que eu esteja com raiva dele, mas quase: ele parece mágico, não acaba nunca. Com esse sketch de hoje ainda faltam 17 páginas... Na próxima escolha eu vou para um modelo mais breve (70 folhas no máximo, como nos sketchbooks da Tilibra).

Sei que eu já venho dizendo isso há um bom tempo mas -- eu preciso de uma prática deliberada em alguns aspectos, e rever o que eu faço no sketchbook. Esse desenho, por exemplo, é algo que não dá para colocar no sketchbook: é o tipo de trabalho que não se resolve em duas, três horas -- ou se resolve assim, mal acabado em diversos aspectos. No começo do ano, eu me comprometi a fazer 25 minutos de prática todos os dias... Mas o que acontece mesmo é que em alguns dias eu fico 02, 03 horas em um desenho como esse -- e depois passo vários dias sem encostar no caderno; preciso equalizar essa questão.

Tenho alguns chutes sobre ações necessárias:

  • Separar prática de trabalhos: uma coisa é gastar 25 minutos em prática, outra coisa é tentar fazer algo ficar bonito... Não dá para confundir essas coisas.
  • Preciso voltar para a prática de figura humana completa -- evitar copiar apenas alguns aspectos, como acontece nesses casos de desenho com referência fotográfica.
  • Praticar, urgentemente, sombreamento e acabamento.
Estou começando a considerar também incluir alguns dias com lápis de cor nessa prática -- o álbum de estudos desse ano está muito preto e branco.


O rabisco que ilustra o post...

Rascunho 46

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Retrospectiva de Junho

Junho acabou -- foi bem fraquinho, não adianta dizer que não, a produção prova. Até por conta disso, resolvi fazer a postagem da retrospectiva de Junho bem rapidinho, e arquivar logo o mês -- vamos para Julho, que eu acredito, será bem melhor. Acho que eu agora estou começando a sair do desânimo pessoal em uma série de questões, e espero que o resultado possa ser sentido no desenho.

Com Junho acabou metade de 2013... Até agora, que não foi lá muito produtivo, foram 45 rascunhos. Minha conta para dizer que isso é fraco é levar em consideração que foram, ao todo, cerca de 182 dias -- o que me faria considerar uma boa média um rabisco a cada dois dias... precisava de uns 91. Por essa conta, foi um rascunho a cada 04 dias, ou seja, não dá nem dois por semana... E eu gostaria de acreditar que até uma pessoa extremamente ocupada conseguiria fazer um no sábado, outro no domingo, e ter uma média melhor do que essa.

Eu sei também que quantidade não quer dizer qualidade -- mas feliz ou infelizmente, é o único indicador que está totalmente sob minha responsabilidade. E espero que na segunda metade do ano ele seja mais positivo ainda.

O rabisco que ilustra esse post...

Retrospectiva de Junho
1. Rascunho 43, 2. Rascunho 44, 3. Rascunho 45

terça-feira, 25 de junho de 2013

Um rascunho cansado...

Mais um rascunho cansado de Junho. Esse exigiu um esforço do photoshop para aparecer na tela, de tão clarinho que estava o original. A referência é loira, eu quis ir aumentando os tons aos poucos e depois de bastante tempo -- que eu não contei -- ainda estava muito claro e eu comecei a perder a vontade. Ultimamente está assim: além da dificuldade de começar, eu canso na metade (desânimo é o nome disso).

Ás vezes, mas só ás vezes, eu me pergunto se deveria ser assim tão complicado de vez em quando... Se talvez isso não quer dizer que eu deveria colocar todos os materiais, sketchbooks e livros em uma caixa e doar para alguém que conseguisse fazer algo melhor com isso mas... Como é que a gente abre mão de uma parte tão familiar da nossa personalidade?

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 45

terça-feira, 18 de junho de 2013

Rabisco de 15 minutos

Um rabisco de 15 minutos tem muitas funções: tentar esquematizar uma figura em pouco tempo; fazer algo diferente do que eu tenho feito nos últimos sketchs e soltar um pouco a mão. Não sei se eu consegui atender todas essas funções -- mas é bom variar um pouco para não perder o ânimo.

Eu gosto de fazer desenhos que se resolvam no traço -- mas não estou muito acostumada a fazer muitos deles, pelo menos nos últimos anos. Não que tenha ficado grande coisa mas com esse rascunho eu acabei de passar outro ano no volume de produção...

Ainda esperançosa que a qualidade siga a quantidade.

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 44

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Retrospectiva de Maio

Retrospectiva de MaioQuinta retrospectiva do ano, só que dessa vez, direto de terras francesas. Enquanto eu vou congelando por aqui -- aparentemente esqueceram de instalar a primavera nesse continente, mesmo com a proximidade do verão -- estou aproveitando as horas vagas (hoje vão ser muitas, pois o maridão foi para o seu congresso-motivo-da-viagem) para colocar a retrospectiva em dia. De novidade ainda nada... Estou deixando as compras relacionadas à atividade para a minha loja mais amada de Paris no final da semana -- embora tenha descoberto que por aqui você acha uma caneta tinteiro legal por EU$ 10,00 (e eu acabei já comprando duas, e refils para os próximos anos).

Maio foi melhor em quantidade em relação a Abril (embora por pouco) e em qualidade não sei dizer -- não coloquei o rascunho do Dia da Toalha no Mosaico do mês porque ia acabar com paridade, e porque foge bastante do estilo do resto, então a conta de quantidade é ainda um pouco melhor. Viajei com um sketchbook específico, mas até agora nada. Talvez eu ainda tente começar algo hoje para passar o tempo mas... Nada garantido. Nesse ritmo, a retrospectiva de Junho pode não ser tão boa.

O mosaico que ilustra esse post...

Retrospectiva de Maio
1. Rascunho 36, 2. Rascunho 37, 3. Rascunho 38, 4. Rascunho 39, 5. Rascunho 40, 6. Rascunho 42

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Saindo à Francesa...

Esse post está aqui especialmente para dizer que eu viajo na quarta-feira (vou para a França, e volto em 12 dias). Portanto é bem possível que o número de postagens diminua significativamente nesse período -- eu ainda queria deixar algumas postagens programadas para o período mas, ainda tenho muita coisa para arrumar até quarta-feira, então não vou fazer promessas... Acho difícil conseguir um tempinho para programar postagens e preparar sketchs.

No ano passado eu até tinha a ideia de montar um sketchbook da viagem, tentar fazer alguns desenhos nos locais mas... A passagem foi tão rápida, que eu não queria parar por muito tempo para desenhar e perder a possibilidade de conhecer mais lugares. Esse ano, no entanto, eu espero passeios mais calmos. Veremos!

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 42

sexta-feira, 24 de maio de 2013

A coisa está feia no mundo dos sketchs...

... Especialmente para a loirinha de uns 17 anos que eu desenhei e deixei com cara de Adele e uns 30 e poucos anos -- nada contra ninguém com seus 30 e poucos anos (é nóis! rs) mas é fato que eu não fiz justiça a referência.

Em relação aos últimos sketchs, esse demorou bem pouco (ainda no sketchbook A4, mas fiz quase um quadrado no meio). Estou experimentando editar a referência original, cortando fora alguns elementos... Tanto cortei, que acabei esquecendo de dar um tratamento um pouco melhor para a mão dela -- está parecendo uma mão fantasma no meio do desenho; tudo bem que ela era clarinha e loirinha mas... Não era para tanto.

Fiz uns brancos no cabelo com a caneta borracha que uso (achei que ficou legal, apesar de meio perdido no cabelo). Ainda estou querendo trabalhar com um papel mais grosso (uma gramatura por volta de 300/400 g/m²) para utilizar o boleador que eu comprei. Com ele você faz umas ranhuras no papel antes de aplicar o grafife para garantir os brancos -- o grafite acaba não entrando nos sulcos. No papel desse sketchbook no entanto (que deve ser algo em torno de 90 g/m²) o boleador não resolve -- precisa apelar para a borracha mesmo.

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 40

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Sketch feio também conta ponto...

Infelizmente nem tudo são flores no caminho dos desenhadores em desenvolvimento... Mas mesmo que o desenho saia claramente feio, ainda conta ponto: pelo menos você esteve por lá nos seus minutos diários; mesmo que ainda desanimada pela melhora não ser incremental -- queria poder dizer que o de hoje é sempre um pouquinho melhor que o de ontem, mas não é... Na maioria das vezes se você não estiver no clima pode ser pior, inclusive, que coisas que você fez anos atrás -- e é preciso muita força de vontade para não desanimar nesses momentos.

Ando um pouco ansiosa, e acho que isso tem aparecido bastante no desenho. E estou sentindo falta de coisa mais soltas, mais coloridas, mais rabiscadas... Ter me comprometido nesse sketchbook a tentar dar sempre tratamento final aos desenhos tem sido interessante mas, me pergunto se não é hora de voltar aos rabiscos despretensiosos. Afinal, se é pra ficar feio que pelo menos seja premeditado, rs.

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 39

sábado, 1 de setembro de 2012

Talento escapa pelas frestas

Hoje é primeiro de Setembro. Nenhum significado especial, sem ser a cara "redonda" de começo de mês: dia perfeito para começar um projeto que vem ocupando espaço na minha cabeça: esse blog.

Mas por que "SketchBlock"?

Sem querer soar como qualquer designer em entrevista de emprego, eu sempre gostei de desenhar - sempre quis trabalhar com isso, desde os primeiros "Disney Clubs" que passavam na Rede Globo aos domingos na década de 1980, com programas antigos em que o próprio Walt Disney revelava os segredos de animação - quantas crianças de 05 anos de idade sabem que Branca de Neve chegou a utilizar sete camadas de acetato em algumas cenas, com diferentes detalhes em cada uma delas... Ou sobre os estudos de dança necessários para que os desenhistas realizassem a maior parte das cenas? Mas apesar do começo "promissor", não fui forte... E é por isso que estamos aqui.

Estamos aqui porque agora eu tenho 32 anos, sou uma empresárias da área de educação a distância, trabalho 10 horas por dia, levo trabalho para casa e mesmo assim insisto em encher a casa com uma coleção de livros de desenho, materiais de desenho e pintura - de folhas e lápis a muitas tintas e materiais - que me permitiria parar de fazer qualquer coisa agora, ficar 10 horas por dia na prancheta desenhando e pintando, e ainda assim, ficar alguns anos sem precisar comprar um lápis ou borracha novos se quer.

Mas antes que você ache que isso é uma sessão de puro consumismo exibido,  a verdade é que eu acho que sonhos, vontades, destinos, talentos - dê o nome que quiser - escapam pelas frestas... Eles tem um jeito todo especial de retornar a superfície e fazer você prestar atenção neles por mais impróprio que seja para o momento.

Por um bom tempo eu fiquei pensando no que fazer com isso. Ao longo dos anos, eu tive períodos intercalados de estudo e abandono de estudo - não tenho um trabalho nem próximo do profissional, e a idade não permite  mais que eu diga que "tenho potencial para a coisa" - e mesmo que tudo isso ainda fosse verdade, não é como se eu pudesse - ou quisesse realmente - abandonar tudo o que faço agora para perseguir uma carreira de ilustradora. Então o que fazer com tudo isso? O que fazer com essa vontade de aprender isso direito, esse jeito, esse pensamento recorrente.

Eu pensava naquelas senhoras que pintam a óleo nos cursos de bairro, pintando flores, fruteiras, cavalos e paisagens do interior e tinha acessos de terror só de pensar em ficar assim. Não pela atividade em si - todo meu respeito pelas pessoas que gostam de pintar esses temas a óleo nessas condições - mas pela sensação de "assassinato de sonho", de vida passada em branco que isso iria me causar.

Então qual é o meio termo? Onde ficam as pessoas que como eu tem outras obrigações 90% do dia e ainda assim sonham com um desempenho profissional, uma expressão artística, mesmo sem saber direito a importância disso em sua vida?

A única resposta que eu pude encontrar é que...

- Foda-se, não há resposta!

Não sei se eu continuo na cola do desenho para realizar um destino, seguir um sonho ou desenvolver um talento... Não sei se o mundo vai ficar melhor por conta disso, se um dia eu vou ficar boa o suficiente para que signifique algo, para ganhar algum dinheiro - ou se eu só vou lavar manchas de nanquim no chuveiro, rs.

Tudo o que eu sei é que eu já vi muita gente ao meu redor com sonhos cor pastel, que sonha demais mas que nada acontece, que passa pela vida com pequenas expectativas e pequenas realizações, muitas frustrações, e um discurso sempre semelhante de que "a vida não é fácil". E eu não quero ser uma dessas pessoas que "poderiam ter feito" se a vida não fosse tão dura com elas.

E é por isso que eu fiz esse blog - para falar dos meus sketchs, para falar dos meus bloqueios, para falar do que eu sei, do que eu não sei, do que estou aprendendo e esperar sinceramente que isso ajude alguém que assim como eu vai ter essas "frestas" na vida... E independente do motivo, terá que fazer algo a respeito delas. Decidi escrever esse blog para dizer ao universo, no melhor estilo hollywoodiano sonhador que eu realmente acredito que nunca é tarde para recomeçar e, independente de onde eu esteja hoje, é sempre possível caminhar para algo melhor - e eu já perdi muito tempo por deixar o tempo passar sem registro.

Devo isso aos filhos que eu ainda não tenho - passar o legado de ser alguém que tem sonhos, acredita neles e age a respeito ao invés de uma pessoa que sonhou, esqueceu, aprendeu a conviver com isso e colocou tudo na conta do "assim é a vida".

Talento, e a vida, sempre escapam pelas frestas.