terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Suas marcas no papel.


Sexta-feira foi o dia do vídeo sobre "Marcas no Papel". Um pouco de teoria sobre como podemos desenhar com linha e com tom (acabei me lembrando de como o assunto é tratado no livro do Andrew Loomis, e que se o PDF não estivesse tão ruim, até colocava por aqui), e da importância de garantir que seu desenho tenha a presença de três tons chave (um claro, um médio e um escuro) para ajudar na tridimensionalidade - e como você pode compor o lugar que a pessoa vai olhar primeiro no desenho com isso.

Adoro essa parte, porque quando a gente está começando (infelizmente os meus desenhos só parecem toscos de quem está começando, mas estou longe disso) a tendência é sempre fazer um cinza chapado geral - que deixa as coisas completamente... Chapadas (com o perdão da repetição). Acho que é isso que me incomoda também em muitos artistas de retrato da rua: aquele sombreado todo igualzinho, esfumado com algodão...

Fica de lição de casa: preparar alguns exercícios para mim mesma praticar uma linha que apresente três tons (não essa coisa toda igual que eu faço) e alguns exercícios de sombreado (para retreinar a mão).

O rabisco que ilustra esse post...

É o desenho de sexta-feira passada. Ainda tenho uma meta (nada gravado em pedra) de tentar desenhar e postar um comentário sobre o desenho no mesmo dia - ainda não deu, como você pode ver, estou um pouco atrasada.


Rascunho 02
Consegui gastar um pouquinho mais de tempo nesse desenho, então consegui ir um pouco mais longe na aplicação de tons. Mesmo assim, ainda estou "fora do meu jogo". Tanto para o desenho anterior quanto para esse, a vontade mesmo é tentar refaze-los, um pouco mais finalizado, em cores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário