segunda-feira, 8 de abril de 2013

Quando as coisas não andam!

Estive bem desanimada essa semana, e isso acabou aparecendo no desenho. Eu sei que quantidade não significa qualidade, mas sou partidária da recomendação "Eu cuido da quantidade, Deus cuida da qualidade"... Então quando eu vejo que 1/5 do mês já se foi, e eu só tenho dois rabiscos meia boca, que eu não conseguia terminar só por conta de desânimo... Bem o ciclo vicioso se alimenta.

Por mais que sentar e brincar de rabiscar seja relaxante, não é relaxante o suficiente para substituir uma prática de meditação - pelo contrário, desenhar, como eu já disse outras vezes, faz eu pensar numa série de questões e vidas não vividas (como diria o Contardo Calligaris) que eu arrisco dizer que tem um efeito ainda mais debilitante. Então não dá para encarar o desenho de maneira "leve" como eu tenho feito.

Ou eu abandono de vez essa parte da minha vida - coisa que eu não sou capaz de fazer sem encarar o tipo de dor que se trata aqui - ou eu assumo uma postura profissional. Não uma postura profissional como a da minha vida profissional atual, na qual a grande questão se tornou "como maximizar o lucro da empresa?", mas uma postura condizente com quem decidiu se profissionalizar em uma área e irá buscar melhora constante.

Ainda buscando ideias!

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 32

Nenhum comentário:

Postar um comentário