sábado, 3 de junho de 2017

Paixões Recentes, Falhas Antigas…

Recentemente eu me apaixonei pelo canal do Alphonso Dunn no YouTube. Uma daquelas coisas que você não conhece e quando encontra, começa a se perguntar como foi possível passar tanto tempo da sua vida sem conhecer. Tudo começou quando eu fui procurar um pouco sobre esse livro aqui: Pen and Ink Drawing: A Simple Guide. Basicamente, ele desenha tudo que eu gostaria de desenhar toda vez que eu me comprometo a participar do Inktober… Só que com sucesso! Desde então eu tenho me interessado um pouco mais por arte final em nanquim e arte final com canetas esferográficas; assim como com a criação de padrões e texturas em caneta.

Meios de desenho e pintura “rápidos” sempre me interessam muito, porque, lápis de cor, definitivamente é um método de paciência no qual você gasta, fácil, mais de 20 horas de trabalho para finalizar “mais ou menos” uma arte A4. Aquarela, guache, acrílica etc, não são tão demorados, mas exigem que o local esteja preparado para aquilo. Quem, como eu, consegue na maioria das vezes deixar apenas 20 a 30 minutos por sentada, chega a preparar os materiais para começar e então o tempo acaba. Fora que com criança pequena por perto, eu sempre imagino potes de água e tinta virando sobre tudo… Ou seja: Caos!

Até aí tudo bem mas… Será que com tanto sketchbook apropriado em casa, precisa mesmo ficar testando e treinando no caderno de anotações como eu fiz aqui? Tem alguma maldição ou bloqueio que me impeça de usar papel de verdade, apropriado ao meio? Por que sinceramente não é uma questão de não ter, que estão todos aqui em casa umedecendo à toa.

2017 | Some Recent Pen & Ink Drawings Tour (Alphonso Dunn)

Um bom papel para praticar arte-final.
Se você assistir esse vídeo do Alphonso Dunn, você escutará ele mencionar “Papel de Aquarela Hot Press” (que é um método de produção que deixa o papel de aquarela com uma textura bem lisa). Se você for procurar esse papel online, independente da marca (Canson ou Fabriano) vai descobrir que ele custa uma média de R$ 20,00 a folha A4, e vai desistir da ideia de fazer desenhos assim antes de começar.

Um alternativa em conta e que costuma funcionar muito bem com nanquim e esferográfica é o Opaline -- daquele mesmo que você encontra em lojas de escritório, como na Kalunga, por exemplo, em pacotes de 50 folhas. Se quiser um com uma qualidade melhor, pode comprar os blocos de 30 folhas da Canson, que ela vende com o nome de Bristol (não confundir com o Bristol que vários ilustradores e artistas internacionais mencionam, que não é o mesmo papel).

O opaline é um papel bem liso (o que ajuda no deslizar de canetas e pincéis), com uma gramatura boa (normalmente 180g/m²) e com baixo custo. Sua principal desvantagem é não ser “Acid Free” ou “Archival” -- ou seja, vai amarelar com o tempo e não será uma obra para a posteridade (algo que não costuma ser mesmo a preocupação de quem está começando). Esse é o papel que eu usei em todo o meu sketchbook do último Inktober, e que está atualmente no meu sketchbook -- e ele é bem versátil para qualquer coisa que não envolva muita água.

Importante:
Caso você tenha se interessado pelo livro, esse site tem um uma ótima resenha, cheia de imagens, e com o vídeo a seguir. Além disso, no canal do YouTube em que o vídeo a seguir está disponível, você encontra toda uma série de vídeos feitas com livros de arte e desenho folheados -- o que é muito interessante se você estiver interessado em comprar um desses livros mais caros mas está na dúvida porque não sabe o que vai encontrar dentro dele.

Pen and Ink Drawing: A Simple Guide (Parka Blogs)

Nenhum comentário:

Postar um comentário