terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Pretensão e água benta

Essa história de postar tudo o que faço ainda me mata... Dessa vez a questão é o desenho de duas coisas que eu não me dou muito bem: retratos masculinos e perfis, tudo no mesmo rabisco. Só me restava perguntar: quem mandou ser tão pretensiosa? Isso me levou a pensar o porquê desse bloqueio. Diferente do que muitas linhas de ensino tentam fazer crer, eu não acredito nessa história de "desenho por categoria"; por exemplo, "como desenhar cães", "como desenhar gatos", "como desenhar crianças" etc. E não acredito nisso por dois motivos.

O primeiro é que todo desenho, por mais tosco que esteja, é regido por alguns princípios universais: domínio da linha e do tom, espaços negativos, gradações, gradações reversas, luz, sombra etc. E esses princípios não mudam de acordo com o assunto do desenho. Seria o mesmo que dizer que a gravidade se aplica de maneira diferente dependendo do objeto.

O segundo, é mais uma esperança: se você precisasse de uma instrução específica para desenhar um determinado tema... Bem, para saber desenhar você iria precisar de muita instrução - afinal, os temas são quase infinitos. Isso não significa que eu não acredite que a especialização em um determinado tema não é necessária - muito pelo contrário. Eu, pessoalmente, embora admire diversos estilos de desenho e ilustração, tenho que admitir: eu gosto de desenho de figura humana realista mas... Fico com medo dessa mentalidade do "eu não sei desenhar animais"... Isso não existe.

No meu caso, a pretensão de tentar desenhar um tema que eu ainda não domino me deixa claro mais que eu tenho determinados vícios na figura humana (que deixam todos os meus meninos com cara de menina), do que uma inaptidão nata para desenhar o tema. Desenho, felizmente, não é como música: a sua falta de habilidade em determinado tema não o impede de tentar arriscá-lo.

O rabisco que ilustra esse post...

Rascunho 05
Ainda sem possibilidade de desenhar homens, e ainda mais de perfil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário