quarta-feira, 4 de maio de 2016

Rabiscos do Feriado - finalmente escaneados e no Flickr

Do, or do not. There is no try! Que a força esteja com a gente.

Hoje é o "Maythe4th", ou dia "Star Wars" -- eu nem sou tão fã assim da série (sou uma nerd mais para Star Trek mesmo), mas achei que hoje era um dia interessante para me "recompromissar" com as metas do blog -- afinal, vamos confiar na força, pra ver se a coisa vai em frente. Produção de 2016 está parada -- 09 rabisquinhos até agora, 04 deles no último feriado então... Vamos combinar que isso é patético.

Hora de organizar as referências, as fontes de estudo e as possibilidades... Que são:

DTO - Drawing Tutorials Online.
http://www.drawing-tutorials-online.com/
Eu ainda tenho 08 meses da minha anuidade de assinatura -- então vamos usar para valer, não vamos? Nesse ano não vai dar para investir tempo ou dinheiro em um curso presencial, então vamos tirar tudo que o online tem a nos oferecer -- por exemplo, a possibilidade de críticas semanais dos meus desenhos. Além disso, para quem, como eu, adora figura humana ensinada de um jeito clássico, é o lugar perfeito -- tutoriais em anatomia, retrato, figura humana em detalhes etc. Vou voltar a assistir regularmente, e seguir os exercícios... Já dá um bom caldo.

Livros, livros e mais livros...
Vocês verão... Eu tenho uma biblioteca invejável de tempo de mimosas mais obesas -- pela programação do meu calendário editorial, todos os sábados eu vou resenhar e apresentar um deles. Paralelo a essa "revisão do acervo", eu vou estudá-los de um em um, de pouco em pouco -- eventualmente quando eu achar algo muito interessante, eu posto por aqui.

Illustration Friday.
http://www.illustrationfriday.com/
Aqui, a ideia é tirar o foco do estudo e investir algum tempo em criação -- essa história de estudar, quando a gente não ganha dinheiro diretamente com isso na vida, pode fazer a gente se perder um pouco sem saber o porquê estuda, ou se está fazendo alguma diferença de fato. Com uma proposta semanal de produção "criativa", dá para testar como vão as habilidades.

E é isso -- vou me comprometer com áreas, sem fechar malucamente números e datas... E vamos ajustando com a carroça andando. Não estou nem me importando que estamos em Maio -- antes tarde do que nunca.


terça-feira, 3 de maio de 2016

Lentes de Estudo: Conceitos, Temas e Técnicas

Desde aquele post sobre como estruturar referências (aqui), eu fiquei meio que "pirando" em como é difícil essa coisa de realmente estudar desenho... Não é de se admirar que muita gente pare em um ponto, desista, não saiba o que fazer ou se sinta sobrecarregada.

Pelo fato de trabalhar como Designer Instrucional, eu acho extremamente difícil abordar qualquer assunto para estudo sem ter uma ideia do todo e de onde aquilo que eu quero aprender se insere -- então comecei a desenhar um mapa mental com as principais "lentes" ou perspectivas que você pode utilizar na hora de aprender -- já percebi que muitas das minhas travas em relação ao desenho estão aí por conta de olhar o sketchbook e não saber muito bem o que fazer com ele: por onde começar, qual a prioridade, o que mesmo eu estou querendo praticar.

Se você quiser ir acompanhando o Mapa Mental completo, ele está em confecção nesse link:
https://www.mindmeister.com/695138380/estudando-desenho 

Por hora, estou tentando dividir referências e práticas em três lentes:

1. Conceitos Básicos.
Estou chamando de conceitos básicos itens como: linha, tom, forma, composição, cores etc. Entendimentos fundamentais que você precisa ter sobre desenho, mas que independem do tema que você quer desenhar (sejam humanos ou robôs do espaço) e muito menos da técnica utilizada.  Embora eu não tenha a ambição de dominá-los completamente antes de passar para os próximos itens, conhecer um pouquinho deles mais a fundo ajuda a diminuir o tempo de "quebrada de cabeça".

2. Temas.
Tema é aquilo que você quer desenhar: pessoas, cachorros, barcos, árvores etc. Temas são estudados com a aplicação dos conceitos básicos, em uma determinada técnica -- mas não estão limitados por elas. Na minha opinião de mortal, é aqui que muita gente se perde -- livros como com títulos como "como desenhar cães?", "como desenhar retratos?", "como pintar paisagens?" e afins, lidam com temas específicos, aplicando conceitos básicos em determinadas técnicas -- mas não deixam nenhuma dessas coisas claras. Aí a pessoa até apreende um pouco dos conceitos básicos e das técnicas, mas não consegue transpor isso para outros temas... E trava.

3. Técnicas.
São os materiais propriamente ditos: grafite, lápis de cor, nanquim, aquarela etc. Depois do boom dos livros de adultos para colorir, estamos tendo o "boom" dos "ilustradores aquarelistas". Até gostar da técnica, tudo bem -- também acho linda. Mas há um limite de cabeças aquareladas com anatomia duvidosa que o mundo precisa. Pessoalmente eu acho um caminho meio estranho gastar uma grana em uma técnica tão cara e ir aprendendo o resto aos poucos (como construir um telhado bonito, enquanto monta fundações e paredes), mas... Cada um cada um.

E no dia a dia, o que tudo isso significa?
Primeira coisa, que há muito a estudar. Segunda coisa, que toda vez que você abre seu sketchbook ou pega uma folha para rabiscar, tenha isso em mente: o que vou praticar hoje, em cada um desses conceitos -- vou estudar figura humana, valorizando a linha, com marcadores? Qual o meu foco real: a figura humana, a linha ou o marcador? Ter clareza sobre isso é fundamental para ter certeza que você está praticando aquilo que realmente lhe interessa.

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Retrospectiva BEDA 2016¨(Abril) - Aprendizados

Abril chegou ao fim, e com ele o desafio BEDA (Blog EveryDay April) 2016. Foram 30 dias de postagens, com coisas que eu gostaria de compartilhar (outras nem tanto) durante todo o mês de Abril. Não sei se alguém achou essa empreitadas útil — ainda estou pessoalmente na dúvida — mas deu pra aprender muita coisa por aqui.

1. Postar diariamente é possível!
Não é fácil, mas é possível. Embora eu ainda tenha a meta de começar a fazer pelo menos um rascunho por dia e postar, o blog não precisa se resumir a isso. Com um pouco de planejamento — e um calendário editorial azeitado — é possível produzir coisas que façam sentido para mim, e ajudem um pouco quem me visita por aqui.

2. Planejamento é tudo.
Minhas micro férias quase colocaram tudo a perder — eu não havia pensado em como colocaria no ar os posts programados para a semana do feriado apenas com o celular, então tive que adiar alguns posts que seriam impossível por celular(que acabaram tão adiados que só vão ao ar essa semana). Por aqui, ainda foi possível remediar — no meu blog pessoal fez com que o projeto desse água. Mas cansada de ficar pensando diariamente no que escrever por aqui, isso fez com que eu finalmente configurasse uma maneira mais “mobile” de postar por aqui, e colocasse o calendário editorial em prática — e agora eu sei com uma boa antecedência o que vai no ar e quando.

3. “I have to practice what I preach”.
Sim… Eu tenho plena consciência do quanto é ridículo ter um blog sobre desenho e a necessidade de praticar e não praticar diariamente — passar 30 dias postando e ver que desses 30 dias eu tenho apenas 4 rascunhos para mostrar é triste. Pessoalmente esse é o meu maior desafio.

No fim das contas, foi um intensivo em “o que fazer”, “o que não fazer” e “o que pode ser feito”, de maneira prática. Ao longo desses anos de blog eu parei para pensar diversas vezes no que fazer por aqui — um BEDA poderia ter deixado as coisas claras há muito mais tempo.

Se você ficou interessado em fazer uma retrospectiva de todas as postagens desse BEDA, basta acessar esse link: http://www.sketchblock.com.br/search/label/BEDA2016